Trechos de Bohr sobre modelos atômicos: indícios sobre como a física é construída e possibilidades enquanto recurso didático

Autores

  • André Coelho da Silva Instituto Federal de São Paulo
  • Maria José Pereira Monteiro de Almeida Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n1p277

Palavras-chave:

Natureza da ciência, Textos originais de cientistas, Modelos atômicos, Leitura, Ensino de física

Resumo

Tomando as abordagens históricas como uma das formas de fomentar a produção de sentidos sobre a Natureza da Ciência e embasados na noção de leitor virtual proveniente da Análise de Discurso, analisamos como aspectos sobre a construção da Física aparecem em trechos de uma obra de Niels Bohr. Neles, o autor sinalizou, entre outras coisas: a relação complexa entre teoria e experimento, as limitações da Ciência e seu caráter coletivo. Por inscrever seus pares como leitores virtuais do texto, este possui alta densidade conceitual e pressupõe o conhecimento do leitor sobre certos assuntos. Ainda assim, consideramos a possibilidade de sua leitura nos Ensinos Médio e Superior, especialmente se tiver como base a mediação do professor e adaptações que objetivem alterar o leitor virtual inscrito no texto.

Biografia do Autor

André Coelho da Silva, Instituto Federal de São Paulo

Doutor em Educação pela Faculdade de Educação da Unicamp (FE, Unicamp). Atuou como professor em instituições de ensino superior e em escolas de ensino fundamental e médio, tanto da rede pública como da rede privada. Foi coordenador do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID/CAPES) e orientador do Programa de Residência Pedagógica (PRP/CAPES) no Instituto Federal de São Paulo (IFSP), subprojeto Física, núcleo Itapetininga.

Maria José Pereira Monteiro de Almeida, Universidade Estadual de Campinas

Professora Titular aposentada. Atualmente atua como Colaboradora nos programas de pós-graduação da Faculdade de Educação da Unicamp e no Programa Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática - PECIM. É bolsista de produtividade em pesquisa 1B do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq.

Referências

ABD-EL-KHALICK, F. Examining the sources for our understandings about science: enduring conflations and critical issues in research on nature of science in science education. International Journal of Science Education, v. 34, n. 3, p. 353–374, 2012.

ALMEIDA, M. J. P. M. Historiografia e Interdiscurso. Ciência & Educação, v. 10, n. 3, p. 333-340, 2004.

ALMEIDA, M. J. P. M.; PAGLIARINI, C. R.; Leitura na Educação em Ciências. Ciência & Educação, v. 22, n. 2, p. 271-277, 2016

ARTHURY, L. H. M.; TERRAZZAN, E. A. A Natureza da Ciência na escola por meio de um material didático sobre a Gravitação. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 40, n. 3, p. 3403-21, 2018.

BAGDONAS, A.; ZANETIC, J.; GURGEL, I. Controvérsias sobre a natureza da ciência como enfoque curricular para o ensino da física: o ensino de história da cosmologia por meio de um jogo didático. Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, n. 2, p. 242-260, 2014.

BOHR, N. Sobre a Constituição de Átomos e Moléculas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001.

CHALMERS, A. F. O que é ciência, afinal? Trad. Raul Fiker. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993.

CHIBENI, S. S. O que é ciência. s/d. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

CONDÉ, M. L. L. (Org.) Ludwik Fleck Estilos de Pensamento na Ciência. Belo Horizonte: Fino Traço Editora, 2012.

DUSCHL, R. A.; GRANDY, R. Two views about explicitly teaching Nature of Science. Science & Education, v. 22, n. 9, p 2109–2139, 2013.

EFLIN, J.; GLENNAN, S.; REISCH, G. The nature of science: a perspective from the philosophy of science. Journal of Research in Science Teaching, v. 36, n. 1, p. 107–116, 1999.

KÖHNLEIN, J. F. K.; PEDUZZI, L. O. Q. Uma discussão sobre a natureza da ciência no ensino médio: um exemplo com a teoria da Relatividade Restrita. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 22, n. 1, p. 36-70, 2005.

LEDERMAN, N.; ADB-EL-KHALICK, F.; BELL, R. L.; SCHWARTZ, R. S. Views of Nature of Science Questionnaire: Towards valid and meaningful assessment of learners’ conceptions of the nature of science. Journal of Research in Science Teaching, v. 39, n. 6, p. 497–521, 2002.

LEDERMAN, N.; LEDERMAN, J. Revising instruction to teach nature of science: Modifying activities to enhance students’ understanding of science. The Science Teacher, v. 71, n. 9, p. 36–39, 2004.

LOPES, C. V. M.; MARTINS, R. A. Uma lacuna na história dos modelos atômicos em livros didáticos: John William Nicholson e a astroquímica. In: VI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (ENPEC), Florianópolis, 2007.

MACHADO, D. I.; NARDI, R. Construção e validação de um sistema hipermídia para o ensino de física moderna. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 6, n. 1, p. 90-116, 2007.

MARTINS, A. F. P. Natureza da Ciência no ensino de ciências: uma proposta baseada em “temas” e “questões”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, p. 703-737, 2015.

MORAIS, A. M.; NEVES, I. P.; FERREIRA, S.; SARAIVA, L. A natureza da ciência na educação em ciência: teorias e práticas. Práxis Educativa, v. 13, n. 1, p. 8-32, 2018.

MOURA, B. A. O que é natureza da Ciência e qual sua relação com a História e Filosofia da Ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, n. 1, p. 32-46, 2014.

ORLANDI, E. P. A produção da leitura e suas condições. Leitura, Teoria e Prática, v. 2, n. 1. p. 20- 25, 1983.

ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. São Paulo: Pontes, 1987.

ORLANDI, E. P. Paráfrase e Polissemia: a fluidez nos limites do simbólico. Rua, v. 4, p. 9-19, 1998.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. 5ª ed. São Paulo e Campinas: Cortez e Editora da UNICAMP, 2000.

ORLANDI, E. P. Apresentação: Cidade Atravessada. In: ORLANDI, E. P. (Org.). Cidade atravessada: os sentidos públicos no espaço urbano. Campinas: Pontes, 2001.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios & procedimentos. 6ª ed. Campinas: Pontes, 2005.

OSBORNE, J. F.; RATCLIFFE, M.; COLLINS, S.; MILLAR, R.; DUSCHL, R. What ‘ideas-about-science’ should be taught in school science? A delphi study of the ‘Expert’ community. Journal of Research in Science Teaching, v. 40, n. 7, p. 692–720, 2003.

OSTERMANN, F.; CAVALCANTI, C. J. H. Física moderna e contemporânea no ensino médio: elaboração de material didático, em forma de pôster, sobre partículas elementares e interações fundamentais. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 16, n. 3, p. 267-286, 1999.

PAGLIARINI, C. R.; ALMEIDA, J. P. M. Leituras por alunos do ensino médio de textos de cientistas sobre o início da física moderna. Ciência & Educação, v. 22, n. 2, p. 299-317, 2016.

PENA, F. L. A. Por que, nós professores de Física do Ensino Médio, devemos inserir tópicos e ideias de física moderna e contemporânea na sala de aula? Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 28, n. 1, p. 1-2, 2006.

PÉREZ, D. G.; MONTORO, I. F.; ALÍS, J. C.; CACHAPUZ, A.; PRAIA, J. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, v. 7, n. 2, p. 125-153, 2001.

PINTO, A. C.; ZANETIC, J. É possível levar a Física Quântica para o ensino médio? Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 16, n. 1, p. 7-34, 1999.

REGNER, A. C. K. B. Feyerabend e o pluralismo metodológico. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 231-247, 1996.

RUDOLPH, J. Reconsidering the ‘‘nature of science’’ as a curriculum component. Journal of Curriculum Studies, v. 32, n. 3, p. 403–419, 2000.

SILVA, A. C.; ALMEIDA, M. J. P. M. Física Quântica no Ensino Médio: o que dizem as pesquisas. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 28, n. 3, p. 624-652, 2011.

SILVA, A. C.; ALMEIDA, M. J. P. M. A Leitura Por Alunos do Ensino Médio de Um Texto Considerado de Alto Grau de Dificuldade. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 7, p. 49-73, 2014.

SILVA, H. C.; ALMEIDA, M. J. P. M. O deslocamento de aspectos do funcionamento do discurso pedagógico pela leitura de textos de divulgação científica em aulas de física. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 4, n. 3, p. 1-25, 2005.

SILVEIRA, F. L. A metodologia dos Programas de Pesquisa: a epistemologia de Imre Lakatos. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 13, n. 3, p. 219-230, 1996.

TERRAZAN, E. A. A inserção da física moderna e contemporânea no ensino de Física na escola de 2º grau. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 9, n. 3, 1992.

VALADARES, E. C.; MOREIRA, A. M. Ensinando Física moderna no segundo grau: Efeito fotoelétrico, laser e emissão de corpo negro. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 15, n. 2, p. 121-135, 1998.

VAN DIJK, E. M. Portraying real science in science communication. Science Education, v. 95, n. 6, p. 1086–1100, 2011.

Downloads

Publicado

2020-05-13

Edição

Seção

Artigos