Novas ocorrências e registros notáveis sobre distribuição de aves em Santa Catarina, sul do Brasil

Autores

  • Iury Almeida Accordi Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Bento Gonçalves, 9500, Prédio 43422, 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil
  • André Barcellos Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos – CBRO

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n1p85

Palavras-chave:

Santa Catarina, Distribuição, Ocorrência, Aves

Resumo

A maior parte dos trabalhos ornitológicos realizados em Santa Catarina se concentra na metade leste do estado, enquanto no centro-oeste praticamente inexistem informações publicadas. Entre março 2000 e maio 2002 foi realizado um inventário da avifauna nas áreas de influência das usinas hidrelétricas de Machadinho e de Barra Grande, ao longo da margem catarinense dos rios Uruguai e Pelotas. Realizaram-se amostragens adlibitum, contagens em pontos de escuta e capturas com redes de neblina. O presente trabalho registrou setenta e dois registros notáveis para o território catarinense, sendo duas novas ocorrências (Cypseloides senex e Procacicus solitarius), três que se baseavam apenas em informações bibliográficas de cunho geral (Amazona pretrei, Ramphastos toco e Capsiempis flaveola), quatro que foram registradas pela primeira vez nos últimos 40 anos (Megascops sanctaecatarinae, Macropsalis forcipata, Phyllomyias virescens e Corytops delalandi) e outras sessenta e três espécies citadas pela primeira vez para o vale do rio Uruguai em sua porção leste.

Biografia do Autor

Iury Almeida Accordi, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Bento Gonçalves, 9500, Prédio 43422, 91540-000, Porto Alegre – RS, Brasil

Profissional com experiência nas áreas de ornitologia, ecologia e conservação da vida silvestre. Doze anos de experiência como consultor ambiental autônomo com ênfase em ornitologia. Biólogo licenciado, com mestrado e doutorado em ecologia pela UFRGS. Atualmente é presidente da Sociedade Brasileira de Ornitologia (gestão 2009-2011), já tendo sido tesoureiro desta Sociedade no período 2003-2007 e presidente entre 2007-2009. É anilhador sênior do Cemave desde 2001, com vários projetos de anilhamento em andamento. Como consultor, atuou como membro da equipe de monitoramento e manejo de fauna cinegética no Rio Grande do Sul de 1997 a 2000. Trabalhou como técnico de nível superior por dois anos e meio na STE Serviços Técnicos e Engenharia, lotado na Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul a serviço do Projeto de Despoluição do Guaíba Pró-Guaíba. Por dois anos e meio foi responsável técnico nas áreas de manejo de populações de animais silvestres e planejamento ambiental da Bourscheid Engenharia Ltda., onde atuou como coordenador de fauna e ornitólogo em processos de licenciamento de barragens hidrelétricas (AHE Barra Grande, UHE Machadinho e UHE Campos Novos), gasodutos (Urucu-Coari, Itu-Gasan e Fortaleza-Guamaré), gerenciamento de bacias hidrográficas, entre outros. Como consultor autônomo é sócio gerente da BioConserv Consultoria Ambiental, empresa especializada em gerenciamento e planejamento ambiental. Possui experiência em monitoramento de aves em unidades de conservação, áreas de florestamento, parques eólicos e barragens hidrelétricas. Atualmente, tem atuado no monitoramento de aves em rodovias e em processos de licenciamento de áreas para florestamento, mineração, linhas de transmissão, usinas eólicas e hidrelétricas.Certificado pelo autor em 24/11/09

André Barcellos, Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos – CBRO

Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos – CBRO
http://www.cbro.org.br

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigos