Atuação dos aleloquímicos no organismo vegetal e formas de utilização da alelopatia na agronomia

Autores

  • Paulo Sérgio Siberti da Silva Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", campus de Botucatu, SP.

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2012v25n3p65

Palavras-chave:

Agricultura, Bioatividade, Metabólitos secundários

Resumo

No reino vegetal, tanto em florestas quanto em agrossistemas, ocorre a alelopatia, que é o efeito benéfico ou maléfico de uma planta sobre a outra, mediante liberação de compostos secundários. O fenômeno é determinante no processo de formação das comunidades vegetais, servindo, também, como importante ferramenta para a agronomia, pois seu uso pode promover o combate de plantas indesejáveis, manter as culturas sadias e solucionar casos de insucessos dos cultivares. Além disso, os bioensaios alelopáticos contribuem para a identificação de possíveis fontes botânicas de compostos com ação biocida para combate de pragas e doenças. Logo esse fenômeno pode proporcionar ao pequeno produtor a mudança na sua maneira de se relacionar com a terra e diminuir ou até mesmo abolir o uso de defensivos químicos em suas propriedades. O atual trabalho se trata de uma revisão de literatura sobre algumas formas de atuação dos aleloquímicos no organismo vegetal e maneiras de utilização da alelopatia no manejo e cultivo de plantas.

Biografia do Autor

Paulo Sérgio Siberti da Silva, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", campus de Botucatu, SP.

Departamento de Agronomia, área de Horticultura da Universidade Estadual "Júlio de Mesquita Filho", campus de Botucatu, SP.

Downloads

Publicado

2012-06-08

Edição

Seção

Artigos