Sobrevivência e variação de peso de adultos de Periplaneta americana (Linnaeus, 1758) (Blattaria, Blattidae) submetidos a diferentes condições de estresse

Autores

  • Jucelio Peter Duarte Universidade Federal de Pelotas
  • Francielly Felchicher Universidade Federal de Pelotas
  • Paulo Bretanha Ribeiro Universidade Federal de Pelotas
  • Marcial Corrêa Cárcamo Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p103

Palavras-chave:

Barata, Desidratação, Inanição, Longevidade, Peso corporal

Resumo

Periplaneta americana é uma espécie de grande importância para a saúde pública, já que pode atuar como vetor de diversos patógenos e atinge altas populações em ambientes urbanos. Isso provavelmente se deve à sua capacidade de resistir à fome e a dessecação. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da ausência de água e alimento sobre a sobrevivência e variação de peso entre adultos de P. americana e verificar se o peso inicial dos indivíduos influencia em sua sobrevivência. Quatro grupos com 20 casais de P. americana foram formados e submetidos a: I) estresse hídrico e alimentar; II) estresse alimentar; III) estresse hídrico; e IV) grupo controle. Os insetos foram individualizados conforme os grupos, os quais foram pesados no início e no fim das condições de estresse. Permaneceram sob essas condições até que todos os indivíduos de cada grupo de teste estivessem mortos. As condições de estresse causaram redução do tempo de sobrevivência quando comparados ao grupo controle. Adultos com massa corporal superior sobreviveram por mais tempo quando privados somente de alimento, enquanto que naqueles com ausência de água o peso não influenciou na sobrevivência. A perda total de peso foi maior nos indivíduos privados de água do que naqueles privados somente de alimento.

Biografia do Autor

Jucelio Peter Duarte, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Microbiologia e Parasitologia

Francielly Felchicher, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Microbiologia e Parasitologia

Paulo Bretanha Ribeiro, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Microbiologia e Parasitologia

Marcial Corrêa Cárcamo, Universidade Federal de Pelotas

Departamento de Microbiologia e Parasitologia

Publicado

2015-03-12

Edição

Seção

Artigos