O colecionismo bibliográfico: uma abordagem do livro para além da informação

Eduardo Ismael Murguia

Resumo


 

O presente artigo pretende refletir sobre um tema esquecido pela Biblioteconomia: a formação de coleções bibliográficas. Desde o inicio da Ciência da Informação, a ênfase foi colocada na informação, passando o suporte e a materialidade do livro a um segundo plano. Com a finalidade de iniciar uma discussão que resgate o suporte da informação, foi proposto o conceito de semióforo como meio de salvar a divisão material/imaterial. Assim, num primeiro momento apresenta-se uma discussão bibliográfica que introduz os conceitos de Cultura material e de Colecionismo em diferentes áreas. Em seguida, centraliza-se a argumentação no campo da Biblioteconomia, na sua relação com o colecionismo bibliográfico, destacando-se a Bibliofilia. Por último, na justificativa, resgata-se o título do trabalho para apontar a necessidade dos estudos de colecionismo na área, propondo-se a utilização do conceito de semióforo, não unicamente como ferramenta que supere a divisão suporte/texto, mas como um conceito que oferece subsídios teóricos para o entendimento do problema; para assim chegar ao objetivo específico da pesquisa: discutir que, na sua condição de semióforo, o objeto livro possui características específicas (subjetivas e materiais) que fazem com que o sujeito estabeleça relações outras do que a simples busca de informação e criação de conhecimento.


Palavras-chave


Coleções; colecionismo bibliográfico; livros

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2009v14nesp1p87



Direitos autorais 2009 Eduardo Ismael Murguia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)