Compreensões do conceito de informação: traduzindo inscrições de especialistas à luz da epistemologia política de Bruno Latour

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2023.e93547

Palavras-chave:

Epistemologia, Ciência da Informação, Conceito de Informação, Cientistas da Informação, Bruno Latour

Resumo

Objetivo: Aborda compreensões de cientistas da informação acerca do conceito de informação. Especificamente, discute inscrições desses especialistas à luz da epistemologia política de Bruno Latour.

Método: Sob abordagem metodológica da semiótica material, utiliza a noção de “inscrição” e o procedimento de “tradução” para fins de descrição e análise bibliográficas das inscrições de especialistas estrangeiros e brasileiros via questionário.

Resultado: Constata diferentes redes semiótico-materiais que compreendem o conceito de informação. Dentre outras, compreende-o como multifacetado e polissêmico, partilham conceituações próprias e outras que utilizam a própria literatura para tal conceituação.

Conclusões: A construção dessas redes semiótico-materiais que compreendem o conceito de informação por meio de Bruno Latour permite apreender as relações entre saberes e interesses contraditórios do conhecimento científico, enquanto processos de identificação e diferenciação político-epistemológicos, para além de qualquer purificação disciplinar objetivista via epistemologia informacional ou epistemologia ciência da informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zayr Claudio, Federal University of Alagoas

Doutor em Gestão e Organização do Conhecimento, UFMG. Professor, Curso de Biblioteconomia, Universidade Federal de Alagoas.  

Marlene Oliveira Teixeira de Melo, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutora pela Universidade de Brasília, mestre pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia -RJ e graduada em Biblioteconomia pela FUOM/MG. Atualmente exerce atividades de ensino e pesquisa na Escola de Ciência da Informação- ECI da UFMG como Professor associado II.

Referências

ALVARADO-URBIZAGASTEGUI, R.; OLIVEIRA, M. A comunidade científica da biblioteconomia e ciência da informação brasileira. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 18, n. 1, 2008. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/92897. Acesso em: 21 dez. 2022.

ALVARENGA, L. Bibliometria e arqueologia do saber de Michel Foucault: traços de identidade teórico-metodológica. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 3, p. 253-261, 1998. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-19651998000300002. Acesso em: 1 dez. 2022.

BORKO, H. Information Science: What Is It? American Documentation, [s. l.], p. 3-5, 1968. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Instituicao/Docentes/EdbertoFerneda/k---artigo-01.pdf. Acesso em: 17 nov. 2022.

CAPURRO, R. Information: Ein Beitrag zur etymologischen und ideengeschichtlichen Begründung des Informations-begriffs. Müchen: Saur, 1978. Disponível em: http://www.capurro.de/information.html. Acesso em: 21 set. 2022.

CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. The Concept of Information. Annual Review of Information Science and Technology, [s.l.], v. 37, section 4, p. 343-411, 2003. Disponível em: http://www.capurro.de/Capurro_Hjoerland.pdf. Acesso em: 22 mar. 2022.

CUNHA, F.; FÉLIX, M. O conceito de informação na ciência contemporânea: coloquios filosoficos internacionais de Royaumont. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970. 221 p. v. 2. [Série ciência e informação]. [Coloquios Filosóficos Internacionais de Royaumont].

DAY, R. The modern invention of information: discourse, history, and power. [s.l.]: Southern Illinois University Press, 2001.

FRANCELIN, M. M. Epistemologia da Ciência da Informação: evolução da pesquisa e suas bases referenciais. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 23, n. 3, p. 89-103, jul. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/LNf9PZshWv9HhXWzFwGKN9k#. Acesso em: 8 set. 2023.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. A informação: dos estoques às redes. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 1-11, 1995. Disponível em: http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/view/611. Acesso em: 25 jul. 2022.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. O objeto de estudo da Ciência da Informação: paradoxos e desafios. Ciência da Informação, Brasília, v. 19, n. 2, p. 117-22, jul./dez. 1990. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/332. Acesso em: 18 out. 2022.

HARTLEY, R. Transmission Information. Bell System Technical Journal, v. 7, n. 3, p. 535-563, 1928.

LATOUR, B. A esperança de Pandora: ensaio sobre a realidade dos estudos científicos. Bauru: EDUSC, 2001.

LATOUR, B. Politicas da natureza: como fazer ciência na democracia. Bauru, SP: EDUSC, 2004a.

LATOUR, B. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas, coleções. In: PARENTE, André (org.). Tramas da rede: novas dimensões filosóficas, estéticas e políticas da comunicação. Porto Alegre: Sulina, 2004b. p. 39–63.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à Teoria do Ator-Rede. Salvador; São Paulo: Edfuba; Edusc, 2012.

LATOUR, B. Reflexão sobre o culto moderno dos deuses fe(i)tiches. Bauru; São Paulo: EDUSC, 2002.

LATOUR, B; BASTIDE, F. Writing Science - Fact and Fiction: the analysis ofthe processo/reality construction through the application of socio-semiotic methods to scientific texts. In: CALLON, Michel; LAW, John; RIP, Arie (eds.). Mapping the dynamicsofscience and technology: sociology of science in the real world. London: Palgrave Macmillan, 1986. Cap. 4, p. 51-66.

LAW, J. Material Semiotics. Heterogeneities, [s. l.], p. 1-19, 2019. Disponível em: www.heterogeneities.net/publications/Law2019MaterialSemiotics.pdf. Acesso em: 4 abr. 2022.

ORTEGA, C. D. Relações históricas entre Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação. DataGamaZero, Rio de Janeiro, v. 5, n. 5, p. 16, 2004. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000002048/e908b9a74b0fb8f5aff3bd1881eec6b2/. Acesso em: 27 jul. 2022.

SERRES, M. Theory of the Quasi-Object. In: SERRES, Michel. The Parasite. London: Johns Hopkins University Press, 1982. Cap. 4, p. 224–234.

SALDANHA, G. S. Ciência da Informação: crítica epistemológica e historiográfica. Rio de Janeiro: IBICT, 2020.

SILVA, Tiago José da; FREIRE, Isa Maria (org.). Epistemologia e historiografia na ciência da informação. João Pessoa: Editora UFPB, 2020.

SHANNON, E. C. A Mathematical Theory of Communication. System Technical Journal, [s.l.], v. 27, p. 1-55, jul. 1948. Disponível em: https://people.math.harvard.edu/~ctm/home/text/others/shannon/entropy/entropy.pdf. Acesso em: 18 jan. 2023.

SOUZA, Edivanio Duarte De. A Epistemologia Interdisciplinar na Ciência da Informação: dos indícios aos efeitos de sentido na consolidação do campo disciplinar. 2011. 346 f. Tese (Dourado em Ciência da Informação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/ECID-8P2JNH. Acesso em: 27 jul. 2021.

STENGERS, I. A invenção das ciências modernas. São Paulo: Ed. 34, 2002.

Arquivos adicionais

Publicado

2023-09-28

Como Citar

CLAUDIO, Zayr; OLIVEIRA TEIXEIRA DE MELO, Marlene. Compreensões do conceito de informação: traduzindo inscrições de especialistas à luz da epistemologia política de Bruno Latour. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 28, p. 1–23, 2023. DOI: 10.5007/1518-2924.2023.e93547. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/93547. Acesso em: 21 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.