A aplicação do método Lume no estudo do trabalho de mulheres agroextrativistas em agroecossistemas amazônicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8085.2020.e71517

Palavras-chave:

Pensamento econômico, Análise econômico-ecológica, Valor agregado, Amazônia

Resumo

O artigo trata da avaliação do Lume como um método de investigação que permita considerar as relações de gênero nos agroecossistemas. Para avaliar o método foi realizado um estudo de caso em um agroecossistema em Abaetetuba, no Pará. Verificou-se que a riqueza produzida pela mulher foi maior que a riqueza produzida por todos os homens da família e que a jornada de trabalho da mulher é maior que a soma do tempo total de trabalho realizado pelos homens. O trabalho da mulher está distribuído em diferentes esferas da vida social pois ela envolve-se com a pluriatividade, o trabalho doméstico e de cuidados e a participação social. O método é capaz de tornar visível a relevância econômica do trabalho da mulher e seu envolvimento em várias esferas da vida social no contexto dos agroecossistemas amazônicos.

Biografia do Autor

Alciene Oliveira Felizardo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas na Universidade Federal de Santa Catarina. Editora Assistente da Revista Internacional Interdisciplinar INTERthesis, Florianópolis, SC

Hueliton Pereira Azevedo, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável

Doutorando no Programa de Pós-graduação em Agroecossistemas da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis - SC, Brasil



Referências

AS-PTA AGRICULTURA FAMILIAR E AGROECOLOGIA (Brasil). Quem Somos. 2010. Disponível em: http://aspta.org.br/quem-somos/. Acesso em: 30 de jan. de 2020.

AZEVEDO, Hueliton Pereira. Transição agroecológica: reflexões a partir de agroecossistemas de camponeses agroextrativistas na Amazônia numa perspectiva política. 2018. 172 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto Amazônico de Agriculturas Familiares, Programa de Pós-graduação em Agriculturas Amazônicas, Belém, 2018. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/10231. Acesso em: 30 de jan. de 2020.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. In: Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, Brasília, maio/agosto de 2013, p. 89-117.

BHABHA, Homi K. A questão do “Outro”: diferença, discriminação e o discurso do colonialismo. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de (org.) Pós-Modernismo e Política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991, p. 177-203.

CARRASCO, Cristina. Mujeres y economía: nuevas perspectivas para viejos problemas. Barcelona: Icaria, 1999.

CARRASCO, Cristina. Introdução: Para uma economia feminista. SOS-Sempreviva Organização Feminista, 2005.

COELHO, Lina. Economia feminista. Dicionário internacional da outra economia, p. 128-133, 2009.

FARIA, Nalu. Economia feminista e agenda de luta das mulheres no meio rural. Estatísticas rurais e a economia feminista: um olhar sobre o trabalho das mulheres. Brasília: MDA, p. 11-28, 2009.

FERNANDES, Gabriel Bianconi; SILVEIRA, Luciano Marçal da; PETERSEN, Paulo Frederico. Lume - Método De Análise Econômico-Ecológica De Agroecossistemas. 2017. Disponível em: https://transforma.fbb.org.br/tecnologia-social/lume-metodo-de-analise-economico-ecologica-de-agroecossistemas. Acesso em: 30 de jan. de 2020.

GROSFOGUEL, Ramón. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico e os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XVI. Revista Sociedade e Estado, vol.31, n. 1, janeiro/abril 2016.

GONZÁLEZ DE MOLINA, M.; TOLEDO, V. Metabolismos, naturaleza e história: hacía una teoria de las transformaciones socioecológicas. Barcelona: Icaria, 2011. (Perspectivas Agroecológicas, 7).

HERRERA, Karolyna Marin. Uma análise do trabalho da mulher rural através da perspectiva da multifuncionalidade agrícola. Seminário Internacional Fazendo Gênero, v. 10, 2013.

LISBOA, Teresa Kleba. Democracia de Gênero - é possível um pacto entre mulheres? In: O Social em Questão - Ano XX - nº 38 - Mai - Ago, 2017, p. 23-38.

PAULILO, Maria Ignez S. O peso do trabalho leve. Revista Ciência Hoje, v. 5, n. 28, p. 64-70, 1987.

PETERSEN, Paulo Frederico et al. Método de análise econômico-ecológica de agroecossistemas. Rio de Janeiro: AS-PTA, 2017.

Downloads

Publicado

2020-06-30

Edição

Seção

Artigos