A atuação da odontologia hospitalar em uma unidade cardiovascular intensiva

Autores

  • Orlando Luiz do Amaral Júnior Universidade Federal de Santa Maria https://orcid.org/0000-0002-6611-3871
  • Maitê Munhoz Scherer Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Paolla Zellya Borges Universidade Federal de Santa Maria
  • Alexsandra da Silva Botezeli Stolz Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-0221.2020v17n36p33

Palavras-chave:

Odontologia hospitalar, Saúde bucal, Assistência integral à saúde

Resumo

A intervenção odontológica em pacientes hospitalizados é necessária tanto para evitar o desenvolvimento de doenças sistêmicas, como para diminuir as consequências daquelas já instaladas, resultando em um relacionamento direto entre o cirurgião-dentista, paciente, equipe multiprofissional e a instituição hospitalar. O objetivo deste artigo é apresentar a atuação de uma equipe odontológica em Unidade de Cardiologia Intensiva (UCI); uma subunidade de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um Hospital Universitário. Um total de 312 pacientes receberam acompanhamento odontológico no período em que estiveram internados entre janeiro de 2015 e dezembro 2017. A maioria dos pacientes que foram atendidos na UCI tinha idade superior a 60 anos. Este texto enfatiza a importância da presença deCirurgiões Dentistas em ambiente hospitalar, considerando que há uma série de ações preventivas, diagnósticas, terapêuticas e paliativas em saúde bucal que podem influenciar a saúde sistêmica e a qualidade de vida dos pacientes.Em suma, a atenção odontológica favorece a atenção integral ao paciente, sendo fundamental para a prevenção de agravos, melhorando sintomas que causam desconforto e afetam o bem-estar do paciente.

Biografia do Autor

Orlando Luiz do Amaral Júnior, Universidade Federal de Santa Maria

Cirurgião Dentista formado pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestrando do Programa de Pós Graduação em Ciências Odontológicas com ênfase em Saúde Coletiva (PPGCO-UFSM). Atualmente é membro do Coletivo Saúde: estudo e pesquisa em Saúde Coletiva - UFSM (2016 - Atualmente). 

Maitê Munhoz Scherer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestranda em Clínica Odontológica com ênfase em Odontopediatria pelo Programa de Pós-Graduação em Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Maria. 

Paolla Zellya Borges, Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Maria (2018). Residente Multiprofissional em Saúde da Família e Comunidade - Grupo Hospitalar Conceição (2019-2021).

Alexsandra da Silva Botezeli Stolz, Universidade Federal de Santa Maria

Graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Maria (1993). Mestrado em Odontologia (Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo Facial) pela Universidade Federal de Pelotas (1996). Doutorado em CTBMF pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2003).Possui Habilitação em Odontologia Hospitalar pelo CEMOI (Unidade Daher Brasília/DF). É membro do Colégio Brasileiro de Odontologia Hospitalar desde 2016. Atualmente é professora Titular da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). 

Referências

AMARAL, S. M.; CORTÊS, A. DE Q.; PIRES, F. R. Pneumonia nosocomial: importância do microambiente oral. Jornal Brasileiro de Pneumologia, v. 35, n. 11, p. 1116–1124, nov. 2009.

ARAÚJO, R. J. G. DE et al. Análise de percepções e ações de cuidados bucais realizados por equipes de enfermagem em unidades de tratamento intensivo. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 21, n. 1, mar. 2009.

BAHRANI-MOUGEOT, F. K. et al. Molecular Analysis of Oral and Respiratory Bacterial Species Associated with Ventilator-Associated Pneumonia. Journal of Clinical Microbiology, v. 45, n. 5, p. 1588–1593, 1 maio 2007.

COLL, P. P. et al. The Prevention of Infections in Older Adults: Oral Health. Journal of the American Geriatrics Society, v. 68, n. 2, p. 411–416, fev. 2020.

GAETTI-JARDIM, E. et al. Atenção Odontológica a Pacientes Hospitalizados: Revisão da Literatura e Proposta de Protocolo de Higiene Oral. Revista Brasileira de Ciências da Saúde - USCS, v. 11, n. 35, 20 maio 2013.

GOMES, L. Fatores de risco e medidas profiláticas nas pneumonias adquiridas na comunidade. Jornal de Pneumologia, v. 27, n. 2, p. 97–114, mar. 2001.

GOMES, S. F.; ESTEVES, M. C. L. Atuação do cirurgião-dentista na UTI: um novo paradigma. Rev. bras. odontol., v. 69, n. 1, p. 4, 2012a.

GOMES, S. F.; ESTEVES, M. C. L. Atuação do cirurgião-dentista na UTI: um novo paradigma. Rev. bras. odontol., v. 69, n. 1, p. 4, 2012b.

LISBOA, T. et al. Prevalência de infecção nosocomial em Unidades de Terapia Intensiva do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 19, n. 4, p. 414–420, dez. 2007.

LOSS, S. H. et al. Chronic critical illness: are we saving patients or creating victims? Revista Brasileira de Terapia Intensiva, v. 29, n. 1, 2017.

MÜLLER, F. Oral Hygiene Reduces the Mortality from Aspiration Pneumonia in Frail Elders. Journal of Dental Research, v. 94, n. 3_suppl, p. 14S-16S, mar. 2015.

PAJU, S.; SCANNAPIECO, F. Oral biofilms, periodontitis, and pulmonary infections. Oral Diseases, v. 13, n. 6, p. 508–512, nov. 2007.

RENZ, J. P. et al. Tomografia computadorizada multidetectores de baixa dose de radiação para avaliação de canino incluso. Revista da Faculdade de Odontologia - UPF, v. 23, n. 3, p. 291–299, 18 dez. 2018.

ROSENTHAL, V. D. Device-Associated Nosocomial Infections in 55 Intensive Care Units of 8 Developing Countries. Annals of Internal Medicine, v. 145, n. 8, p. 582, 17 out. 2006.

TAKAHAMA JR, A. et al. Analysis of oral risk factors for ventilator-associated pneumonia in critically ill patients. Clinical Oral Investigations, 27 jun. 2020.

TERPENNING, M. Geriatric Oral Health and Pneumonia Risk. Clinical Infectious Diseases, v. 40, n. 12, p. 1807–1810, 15 jun. 2005.

TORRES, S. R. et al. Relationship between salivary flow rates and Candida counts in subjects with xerostomia. Oral Surgery, Oral Medicine, Oral Pathology, Oral Radiology, and Endodontology, v. 93, n. 2, p. 149–154, fev. 2002.

ZASLAVSKY, C.; GUS, I. Idoso: Doença Cardíaca e Comorbidades. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 79, n. 6, dez. 2002.

Downloads

Publicado

2020-08-21