Reconstrução paleoambiental do maciço de Água Branca, semiárido de Alagoas, a partir da análise dos sedimentos de encosta

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2021.e67651

Palavras-chave:

Mudanças paleoclimáticas, Holoceno, Semiárido do Nordeste do Brasil

Resumo

A pesquisa teve como objetivo analisar depósitos sedimentares localizados no maciço de Água Branca - AL, região nordeste do Brasil, abordando os mesmos como evidências de mudanças na dinâmica geomorfológica ao longo do Holoceno. Para tanto realizou-se a análise granulométrica e morfoscópica dos sedimentos, além da datação absoluta dos grãos de quartzo pelo método da LOE. Os resultados mostraram que estão estocados na paisagem sedimentos relativos a três fases deposicionais do Holoceno, os colúvios apresentaram características sedimentológicas semelhantes, sendo a maior parte deles formados por fluxos de lama. Acredita-se que padrões de circulação atmosférica nas escalas macro e meso teriam sido responsáveis pelas oscilações de umidade, durante o HI, e pela instalação de um clima semiárido ao longo do HM e do HS.

Biografia do Autor

Maria Luísa Gomes da Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco. Graduada do curso de Geografia (Bacharelado) pela Universidade Federal de Pernambuco.

Antônio Carlos de Barros Corrêa, Universidade Federal de Pernambuco

Docente e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. Lider do Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste Brasileiro (GEQUA) e do Laboratório de Geomorfologia do Quaternário da UFPE. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: geomorfologia do quaternário, geomorfologia do semi-árido do Nordeste do Brasil, geomorfologia histórica e estrutural, aplicação de índices morfométricos na análise geomorfológica e análise geossistêmica. 

Flávia Jorge de Lima, Universidade Federal de Pernambuco - Campus Sertão/Delmiro Gouveia

Professora Adjunta da Universidade Federal de Alagoas, Campus do Sertão/Delmiro Gouveia, atuando no curso de Licenciatura em Geografia, e coordenadora do grupo de pesquisa "Geomorfologia e evolução da paisagem em ambiente tropical (GEPAT)". Tem experiência na área de Geografia física, atuando nos seguintes temas: Geomorfologia do Quaternário e reconstrução paleoambiental, Mapeamento geomorfológico, Micromorfologia de sedimentos colúvio-aluviais e análise da paisagem em áreas semiáridas e subúmidas.

Referências

BEZERRA, F. H. R.; BRITO NEVES, B. B.; CORRÊA, A. C. B.; BARRETO, A. M. F.; SUGUIO, K. Late Pleistocene tectonical-geomorphological development within a passive margin – The Cariata trough northeastern Brazil. Geomorphology, v. 97, p. 555-582, 2008.

BRITO, M. F. L. de.; FILHO, A. F. da S.; GUIMARÃES I. de P.; Caracterização geoquímica e isotópica do batólito Serra do Catu e sua evolução da interface dos domínios Sergipano e Pernambuco-Alagoas, Província Borborema. Revista Brasileira de Geociências, v. 39 (2), p. 324-337, junho de 2009.

BRITO NEVES, B. B.; VAN SCHMUS, W. R.; SANTOS, E .J.; CAMPOS NETO, M. C.; KOZUCH, M. O evento Cariris Velhos na Província Borborema: integração de dados, implicações e perspectivas. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v. 25, p. 279–296, 1995.

CORRÊA, A. C. B; TAVARES, B. A. C; LIRA, D. R.; MUTZENBERG, D. S.; CAVALCANTI, L. C. S. (2019) The Semi-arid Domain of the Northeast of Brazil. In: Salgado A., Santos L., Paisani J. (eds) The Physical Geography of Brazil. Geography of the Physical Environment. Springer, Cham.

CORREA, A. C. B; TAVRES, B. A. C; MONTEIRO, K. A; CAVALCANTI, L. C. S; LIRA, D. R. Megageomorfologia e Morfoestrutura do Planalto da Borborema. Revista do Instituto Geológico, São Paulo, v. 31 (1/2), p. 35-52, 2010.

CORRÊA, A. C. B. Dinâmica geomorfológica dos compartimentos elevados do Planalto da Borborema, Nordeste do Brasil. 2001. 386 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro - SP, 2001.

DELGADO, J. de M. et. al. Geotectônica do escudo Atlântico. In: BIZZI, Luiz Augusto. SCHOBBENHAUS, Carlos. VIDOTTI, Roberta Mary. GONÇALVES, João Henrique. Geologia, tectônica e recursos minerais do Brasil: Texto, mapa e GIS. Brasília: CPRM, 2003. 673p. il.

DEMEK, J. (Ed) Manual of detailed geomorphological mapping. Praga: Comm. Goomorph. Surv. Mapping. IGU, 1972. 368p.

EMBRAPA. Solos do Município de Água Branca, Estado de Alagoas, 2006. Disponível em:

https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/1005498/1/ComTec40Ag uaBranca.pdf. Acesso em 12 de junho de 2019.

FERREIRA, A. G. e MELLO, N. G. da S. Região Nordeste do Brasil e a influência dos oceanos pacífico e atlântico no clima da região. Revista Brasileira de Meteorologia, v.1, n. 1, p. 15-28, 2005.

FOLK, R. L. & WARD, W. Brazos river bar: a study in the significance of grain size parameters. Journal of Sedimentary Research, v. 27, n. 1, p. 3-26, 1957.

GALE, S. J. & HOARE, P. G. Quaternary sediments: petrographic methods for the study of ulithified rocks. Londres: Bethaven Press, 318 p., 1991.

GALVÃO, D. C. Reconstrução paleoambiental a partir dos colúvios do entorno da lagoa do Puiu, município de Ibimirim-Pernambuco. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2012.

GURGEL, S. P. P.; BEZERRA, F. H. R.; CORRÊA, A. C. DE B.; MARQUES, F. O.; MAIA, R. P. Cenozoic uplift and erosion of structural landforms in NE Brazil. Geomorphology, v. 186, p. 68–84, 2013.

LIRA, D. R. Evolução geomorfológica e paleoambiental das bacias do riacho do pontal e GI-8 no sub-médio São Francisco/PE. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2014.

MABESOONE, J. M. Sedimentologia. Recife: Editora Universitária, 1983.

MARTIN, G. Pré-História do Nordeste do Brasil. 4ª ed. Recife, UFPE, 2005.

MELO, R. F. T. Evolução geomorfológica em bases paleoclimáticas do maciço estrutural de Água Branca – AL. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019, no prelo.

MENDES, V. A.; LIMA, M. A. B.; MORAIS, D. M. F. de. Geologia e Recursos Minerais do Estado de Alagoas, SC.24-X-D. Escala 1:250.000. Estado de Alagoas. Recife: CPRM - Serviço Geológico do Brasil, 2010, 407p il. + mapas.

MUTZENBERG, D. S.; CORREA, A. C. B.; TAVARES, B. A. C.; CISNEIROS, D. (2015) Serra Da Capivara National Park: Ruinform Landscapes on The Parnaiba Cuesta. In: Vieira B., Salgado A., Santos L. (eds) Landscapes and Landforms of Brazil. World Geomorphological Landscapes. Springer, Dordrech, 2015.

MUTZENBERG, D. S. Gênese e ocupação pré-histórica do Sítio Arqueológico Pedrado Alexandre: uma abordagem a partir da caracterização paleoambiental do Vale do Rio Carnaúba – RN. 2007. Dissertação (Mestrado em Arqueologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2007.

NOBREGA, R. S. SANTIAGO, G. A. C. F. SOARES, D. B. Tendências do controle climático oceânico, sob a variabilidade temporal da precipitação no Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Climatologia. Ano 12 – v. 18, jan/jun, 2016.

PEJRUP, M. The triangular diagram used for classification of estuarine sediments: a new approach. In: DE BOER, P. L., VAN GELDER, A., NIO, S. D. Ed(s). Tideinfluenced Sedimentary Environments and Facies. Ridel, Dordrecht, 289-300, 1988.

SALGADO-LABOURIAU, M. L. História ecológica da terra. 2. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 1994.

SANTOS, L. D. J. dos. Nível de Suscetibilidade aos Processos Erosivos na Bacia Hidrográfica do Aripibú – Pernambuco. 2019. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2019, no prelo.

SELBY, M. J. Earth’s Changing Surface. London: Clarendon, 1993.

SEPLAG, Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio. Disponível em: http://dados.al.gov.br/it/dataset/dados-de-precipitacaomensal. Acesso em: 20 de junho de 2018.

SHEPARD, F. P. Nomenclature based on samd – silt – clay ratios. Journal of Sedimentary Petrology, v. 24, p.151-158, 1954.

SILVA, D. G. da. Reconstrução da dinâmica geomorfológica do semiárido brasileiro no Quaternário superior a partir de uma abordagem multiproxy. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE, 2013.

SILVA, L. C.; ARMSTRONG, R.; PIMENTEL, M. M.; SCANDOLARA, J.; RAMGRAB, G.; WILDNER, W.; ANGELIM, L. A. A.; VASCONCELOS, A. M.; RIZZOTO, G.; QUADROS, M. L. E. S.; SANDER, A.; Rosa A. L. Z. Reavaliação da evolução geológica em terrenos pré-cambrianos brasileiros com base em novos dados U-Pb SHRIMP, Parte III: Províncias Borborema, Mantiqueira meridional e Rio Negro-Juruena. Revista Brasileira de Geociências, v. 32(4), p. 529-544, 2002.

SUGUIO, K. Geologia do Quaternário e mudanças ambientais. São Paulo: Oficina de Textos, 2010.

TUCKER, M. Techniques in sedimentology. London: Blackwell, 1995.

Downloads

Publicado

2021-04-08

Edição

Seção

Artigos