Identidade sobre rodas: um ensaio sobre a cultura biker custom

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2020.e67140

Palavras-chave:

Motociclismo, Biker, Identidade, Pedagogias Culturais, Narrativas

Resumo

Este ensaio propõe uma reflexão sobre os processos culturais de formação da identidade tendo como referência os estudos sobre as pedagogias culturais. Para tanto, tomam-se os processos de formação da identidade biker custom como referente empírico. Biker refere-se a uma prática social específica vinculada ao motociclismo, à customização da motocicleta, ao uso de roupas, adereços e jargões, através da qual tanto uma identidade pessoal quanto uma identidade coletiva são formadas. Baseado nos estudos sobre pedagogias culturais, este ensaio problematiza os processos de formação da identidade biker, procurando evidenciar a dimensão propriamente pedagógica e formativa dos processos culturais de formação da identidade.

Biografia do Autor

Leandro Castro Oltramari, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC

Doutor em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor Associado, membro do Laboratório de Psicologia Escolar e Educacional na mesma Universidade.

Carlos José Naujorks, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC

Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ANTI-DEFAMATION LEAGUE. Bigots on Bikes: the growing links between white supremacists and biker gangs. 2011. https://www.adl.org/sites/default/files/documents/assets/pdf/combating-hate/ADL_CR_Bigots_on_Bikes_online.pdf Acesso em 24 de setembro de 2018.

BAIN, A; LAUCHS, M. (2017). Understanding the Outlaw motorcycle gangs: internacional perspectives. Durham: Carolina Academic Press. 2017.

BLOKLAND, A., VAN HOUT, L., VAN DER LEEST, W.; SOUDIJN, M. Not your average biker; criminal careers of members of Dutch outlaw motorcycle gangs. Trends Organ Crim, p. 1-24. 2017.

BRUNER, J. Actos de Significado. Lisboa: Edições 70. [1990], 2008.

BRUNER, J. Life as narrative. Social Research. V. 54, N. 1. 1987.

CASTRO CAMOZZATO, V. Pedagogias do Presente. Educação & Realidade, v.39, n.2, p. 573-593. abr/jun. 2014.

FERNANDES, H. S. A relação entre as identidades territoriais e a "nova urbanidade": o caso das manifestações identitárias dos grupos de motociclistas em Salvador. 106f. Dissertação (Mestrado em Geografia), Universidade Federal da Bahia, Pós Graduação em Geografia. Bahia: Salvador. 2012.

FIVUSH, R. Remembering and reminiscing: How individual lives are constructed in family narratives. Memory Studies. v.1, n. 49. 2008.

GERGEN, K. J. La autonarración en la vida social. In: MESA, A. M. E.; FERRÁNS, S. D. (Orgs.). Construccionismo social, aportes para el debate y la práctica. Bogotá: Universidad de los Andes. Ediciones Uniandes. 2007.

GIROUX, H.; MCLAREN, P. (1995). Por uma pedagogia crítica da representação. In: SILVA, T. T.; MOREIRA, A. F. (Orgs.), Territórios Contestados: o currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis: Vozes.1995. p. 144-158.

GIROUX, Henry. Atos impuros: a prática política dos estudos culturais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

GOMES, F. L. Histórias de Paixão sobre Rodas: Moto Club de Campos. Niterói: Nitpress. 2017.

HENRIQUE, R. Solidão Social: a tribo urbana dos motociclistas. Niterói: Primyl. 2000.

KRUGER, M.; VILJOEN, A.; SAAYAMAN, M. What drives bikers to attend a motorcycling event? African Journal of Hospitality, v.1, n.3,p. 1-21. 2014.

MINDICH, B. Bikers: A Sustainable Subculture Model. Master of Arts in Liberal Studies. s/d. Disponível em https://www.academia.edu/9761123/Bikers_A_Sustainable_Subculture_Model. Acesso 27/02/2018.

MARTINS, C. J. Sobre duas rodas: o moto-turismo no Rio Grande do Sul. 124f. Dissertação (Mestrado em Turismo), Universidade Caxias do Sul, Pós-Graduação em Turismo, Rio Grande do Sul: Caxias do Sul, 2012.

MCADAMS, D. The psychology of life stories. Review of General Psychology. v. 5, n. 5, p.100 -122, 2001.

MESQUITA, M. E.; MAIA, C. E. Territórios e territorialidades urbanas em Goiânia: as tribos dos moto clubes. Boletim Goiano de Geografia, v.27, n.3, p. 125-142. jul/dez, 2007.

NAUJORKS, C.; SILVA, M. Correspondência identitária e engajamento militante. Civitas, v.16, a. 1, p.136-152. 2016.

NORTON, P.; AITKEN, P.; WILTON, R. Peter Norton: a bíblia do programador. Rio de Janeiro: Campos, 1994.

REINA, D. R. La etnografia en los estudios de marca: una revisión bibliográfica. Pensamiento & Gestión, p. 211-234. 2013.

SCHOUTEN, J.; MCALEXANDER, J. Subcultures of comsumption: An ethnography of the New Bikers. Journal of Consumer Research, v.22, p. 43-61, jun. 1995.

SILVA, K. L. “É coisa para macho”: a construção de masculinidades nos encontros de motociclistas em Goiânia. 99f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) Universidade Federal de Goiás, Faculdade de Ciências Sociais. Goiás: Goiânia. 2016.

SOARES, M. E. Idas e vindas entre as paisagens e as festas motociclísticas e motoclubísticas no Estado de Goiás. 256f. Tese (Doutorado em Geografia). Instituto de estudos Socioambientais, Universidade Federal de Goiás, Goiás: Goiânia. 2016.

THOMPSON, H. S. Hell’s Angels: medo e delírio sobre duas rodas. São Paulo: Conrad Editora do Brasil, 2004.

TOLEDO PINTO, F. R. Você tem uma moto ou uma Harley: vínculos com a marca Harley Davidson em São Paulo. 203f. Tese (Doutorado em Antropologia Social). Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Universidade de São Paulo. São Paulo: USP. 2011.

Downloads

Publicado

2020-02-11

Edição

Seção

Artigos - Condição Humana na Modernidade