Tradução e imaginação: um ensaio baseado em Jorge Luis Borges

Gabriele Greggersen

Resumo


O artigo pretende a partir de uma análise de textos borgeanos sobre a tradução, fundamentar a hipótese do papel central atribuído por Borges à imaginação e criatividade do tradutor para produzir uma boa obra e fazê-la circular. Como a tradução vale como um gênero à parte do texto original, tendo originalidade própria, Borges se dá o direito de fazer a crítica a traduções de línguas de origem desconhecidas a ele. Analisam-se ainda artigos científicos que corroboram o quanto o autor valorizava a imaginação como mediadora e fomentadora de toda obra literária, mas em especial da tradução.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


In-Traduções ISSN 2176-7904, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.