Invernada dos Negros (SC): um povo enganado! um território retalhado!

Autores

Palavras-chave:

Famílias negras, Invernada dos Negros, Território, Ação de Divisão

Resumo

O dia 20 de junho de 2004 é um marco na luta de mulheres e homens negras/os da comunidade rural ‘Invernada dos Negros’, localizada nos municípios de Campos Novos e Abdon Batista - SC. Nesse dia a comunidade recebeu da Fundação Cultural Palmares a Certidão de Autorreconhecimento como ‘Comunidade Remanescentes de Quilombos’. A trajetória até o Autorreconhecimento é centenária, e é marcada por resistências, pela permanência na terra e de afirmação da identidade negra. Este analisa parte dessa trajetória, quer seja a Ação de Divisão de terras “proposta” pelos verdadeiros herdeiros da terra – legatários, por meio de seu representante legal – advogado Henrique Rupp Junior, no ano de 1928 e concluída em 1942. Esta Ação de Divisão provocou o retalhamento da propriedade herdada, a usurpação, a exclusão e a desterritorialização das famílias negras. Incidindo ainda mais para a invisibilidade e negação da população negra naquele espaço, mas também impulsionará, décadas depois, a luta pela retomada da terra/território.

Biografia do Autor

Renilda Vicenzi, Universidade Federal da Fronteira Sul/UFFS - campus Chapecó

Graduada, Mestre e Doutora em História. Professora de História do Brasil e História da África no Curso História da UFFS-Campus Chapecó. Vice-coordenadora do NEABI - Campus Chapecó.

Eliane Taffarel, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ

Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História (PPGH) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Chapecó (2019). É graduada em História pela Universidade Federal da Fronteira Sul (2016) e em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó (2009). Possui especialização em Comunicação e Marketing Político pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó (2015).

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 02 out. 2020.

BRASIL. [Código Civil (1916)]. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de 1916. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l3071.htm. Acesso em: 22 ago. 2020

GONZALEZ, Lélia. Por um feminismo afro-latino-americano: ensaios, intervenções e diálogos. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

GRINBERG, Keila. Código Civil e Cidadania. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2001.

GRINBERG, Keila. O fiador dos brasileiros: Cidadania, escravidão e direito civil no tempo de Antônio Rebouças. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

MOMBELLI, Raquel. Relatório Antropológico: a Comunidade de Invernada dos Negros. Projeto quilombos no sul do Brasil: estudos antropológicos com vistas a implementação do Decreto 4.887. Florianópolis: NUER/UFSC, 2005.

MOTTA, Márcia. Brecha negra em livro branco: Artigo 68, remanescentes de quilombos e grilagens no Brasil. In: XII Encontro Regional de História – Usos do Passado- Anpuh – Rio de Janeiro, 2006.

MOURA, Glória. Quilombos contemporâneos no Brasil. In: CHAVES, R; SECCO, C. & MACÊDO, T. (Orgs.) Brasil África: como se o mar fosse mentira. São Paulo: Editora UNESP; Luanda, Angola: Chá de Caxinde, 2006. pp. 327-362.

Nota de esclarecimento da ocupação do território da Invernada dos Negros, em domínio da empresa Imaribo. Disponível em http://desacato.info/nota-de-esclarecimento-da-ocupacao-do-territorio-da-invernada-dos-negros-em-dominio-da-empresa-imaribo/. Acesso em: 10 out. 2020.

RIOS, Ana Lugão; MATTOS, Hebe. Memórias do cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

TAFFAREL, Eliane. Da Fazenda São João à Comunidade Quilombola Invernada dos Negros: Terra, Trajetória e Permanência. Dissertação (Mestrado em História), PPGH, Universidade Federal da Fronteira Sul. Chapecó, 2019.

TAFFAREL, Lidiane; VICENZI, Renilda. Quilombolas: História, Identidade e Direitos Pela Titulação de Seu Território, 2003 – Tempo Presente, Campos Novos/SC. In: Anais do XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC: História e Movimentos Sociais. Chapecó, 2016. Disponível em: http://www.encontro2016.sc.anpuh.org/resources/anais/43/1464377691_ARQUIVO_artigoANPUHsemoresumo.pdf. Acesso em: 05 dez. 2016.

MOLET, Claudia Daiane Garcia. Parentescos, solidariedades e práticas culturais: estratégias de manutenção de um campesinato negro no litoral Negro do Rio Grande do Sul (do século XIX ao tempo presente). Tese (Doutorado em História), PPGH. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2018.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870- 1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

VICENZI, Renilda. Nos campos de cima da serra: ser preto, pardo e branco na vila de Lages, 1776 - 1850. Tese (Doutorado em História), PPGH, Universidade Vale do Rio dos Sinos, 2015.

WEIMER, Rodrigo de Azevedo. Os camponeses do Morro Alto: família e trabalho no litoral norte do Rio Grande do Sul no pós-Abolição (1890-1930). Porto Alegre: FEE, 2016.

Downloads

Publicado

2021-09-28