Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Anuário de Literatura tem como missão difundir o conhecimento novo e inovador na área de Literatura, Teoria e Crítica Literária. Está direcionada para pesquisadores e profissionais de literatura. Recebe originais inéditos de artigos em Literatura e Teoria Literária resultantes de pesquisa científica; recebe originais de ensaios de carater teórico fundamentados em revisão de literatura; recebe resenhas de livros além de traduções de artigos e de textos literários. Autores já publicados pela Anuário devem respeitar um interstício mínimo de 06 meses (equivalente a uma edição) para o envio de uma nova proposta de publicação.

São aceitas contribuições de mestres/as, doutorandos/as e doutores/as. Apenas serão aceitos inéditos de mestrandos/as sob a forma de coautoria com doutor/a, desde que a submissão seja feita por este/a.

A Revista reserva-se o direito de não aceitar para avaliação mais de um inédito por autor/a ao ano.

Aceita-se contribuições em Português, em Espanhol e em Inglês.

 

Políticas de Seção

Ficções queer brasileiras

ResumoNo cânone da literatura brasileira há poucos casos de ficções dedicadas ao universo queer. Pode-se recordar de exemplos emblemáticos como a tensão homoerótica entre estudantes de um internato em O Ateneu (1888), de Raul Pompéia, vislumbres naturalistas da homossexualidade feminina em O cortiço (1890), de Aluísio de Azevedo, o problema do afeto homoerótico inter-racial em O bom crioulo (1895), de Adolfo Caminha, a masculinidade em crise no mundo do cangaço com Grande sertão: veredas (1956), de Guimarães Rosa, ou em obras de um dos ícones da literatura gay brasileira, Caio Fernando Abreu, autor de Onde andará Dulce Veiga? (1990). A despeito de mudanças significativas no campo social acerca das ideias de gênero e sexualidade, a representação e a representatividade de personagens queer na literatura brasileira contemporânea continuam muito pequenas – assim como os tensionamentos críticos do cânone. Nos últimos anos, editoras independentes têm lançado nov@s autor@s e apostado em ficções que são sensíveis – de modo interseccional ao universo queer – a questões como doença, velhice, deficiência, raça, etnia e classe social. Esta chamada temática, portanto, é uma convocatória a dar visibilidade teórica a estudos que tenham se debruçado sobre ficções queer na literatura brasileira. Entendemos aqui o conceito queer em sua forma mais ampla, como categoria aglutinadora de expressões de gênero e configurações de corpos considerados abjetos em relação às normas hegemônicas da heterossexualidade.

Palavras-chave: queer; literatura brasileira contemporânea; LGBTQ; representação; representatividade.

Organização: Geovana Quinalha de Oliveira (UFMS) e Marcio Markendorf (UFSC)

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigos

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Entrevistas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Pesquisadores docentes

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Tradução

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Os artigos e demais trabalhos publicados na Anuário de Literatura passam a ser propriedade da Revista. Uma nova publicação do mesmo texto, de iniciativa de seu autor ou de terceiros, fica sujeita à expressa menção da precedência de sua publicação neste periódico, citando-se a edição e data dessa publicação. Os originais de artigos e resenhas submetidos à Anuário de Literatura são encaminhados para a apreciação de dois pareceristas integrantes do Conselho Editorial, Comissão Editorial ou consultores “ad hoc”. Neste processo, os originais são lidos inicialmente pelo Conselho editorial que, se considerar estarem de acordo com a linha editorial geral, os encaminhará para os pareceristas. Os originais poderão ser:

- Aceitos na íntegra, sem restrições;

- Aceitos na íntegra, com algumas alterações; ou,

- Rejeitados.

Quando houver a necessidade de alterações referentes apenas a aspectos gramaticais, ortográficos e de ordem normativa, com vistas a manter a homogeneidade da publicação, o revisor de redação se dá o direito de fazer as modificações necessárias, respeitando o estilo do autor. Nos demais casos, o autor reformulará o texto conforme o que for solicitado pela Comissão.

A Anuário de Literatura não se responsabiliza ou endossa as opiniões emitidas pelos autores dos textos nela publicados, salientando que as opiniões são de sua exclusiva responsabilidade.

 

Periodicidade

A revista Anuário de Literatura está disponivel no formato impresso A-5 (1993-2007) e também a coleção completa no formato digital em PDF no Portal Periódicos UFSC.

Periodicidade semestral (a partir de 2008, vol. 13).

 

Histórico

Entre os anos de 1993 e 2003 (Volumes 1 a 11) a Anuário de Literatura manteve publicação anual regular, havendo um intervalo de três anos até a publicação do volume 12 em 2007. Nesse ano, a coordenação do Programa de Pós-graduação em Literatura retomou o projeto de publicação da revista voltada para docentes e estudantes do curso, sendo lançada pioneiramente em formato digital. A partir de 2008, passou a ser publicada através da Plataforma SEER – Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas, em implantação na UFSC naquele momento sob a tutela do Departamento de Ciência da Informação, coordenado pela Profa. Dra. Ursula Blatmann e sua equipe, integrando, desde sua fundação, o Portal de Periódicos da UFSC. Essa mudança de editoração e de publicação possibilitou ampliar para dois números regulares anuais – volume 13 (2008) e seguintes.

Desde 2008, a revista passou a publicar contribuições de outros programas de Pós-Graduação do país e do exterior, especialmente mestres/as, doutorandos/as e doutores/as. No caso de inéditos encaminhados por mestrandos/as, passou-se a aceitar sob a forma de coautoria com doutor/a.

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Nesse sentido, não há qualquer tipo de custos tanto para o autor quanto para o leitor.

Conforme a licença creative commons usada pela Anuário de Literatura, os autores mantêm os direitos sobre suas produções intelectuais, havendo apenas a ressalva de que as submissões para a apreciação dos pares sejam inéditas.

 

Arquivamento

Anuário de Literatura se preocupa com o acesso ao conteúdo a longo prazo. Caso ocorra algum sinistro nos servidores, os arquivos digitais da revista estão preservados na Rede Cariniana, que utiliza o programa LOCKSS. O LOCKSS cria um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes, o qual permite que elas criem  arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração.

 

Indicadores Qualis Capes 2014

Relação dos indicadores de acordo com o Qualis - CAPES para as áreas de avaliação:

Artes/Música: B1

Interdisciplinar: B2

Letras / Linguística: B2

 

 

Indicadores de publicação

2019 (v. 24, n. 1)

12 artigos

2018 (v. 23, n. 2)

1 ensaio, 12 artigos, 1 entrevista

2018 (v. 23, n. 1)

11 artigos

2017 (v. 22, n. 2)

14 artigos

2017 (v. 22, n. 1)

11 artigos, 2 resenhas

2016 (v. 21, n. 2)

15 artigos

2016 (v. 21, n. 1)

13 artigos, 3 resenhas

2015 (v. 20, n. 2)

12 artigos e 1 entrevista

2015 (v. 20, n. 1)

16 artigos e 1 resenha

2014 (v. 19, n. 1)
16 artigos e 1 resenha

2014 (v. 19, n. 2)
13 artigos, 1 tradução e 1 resenha

 

Estatísticas - Anuário de Literatura

Awstats - julho 2008 a junho 2017

Google Acadêmico - artigos mais citados

Metabase - Estatísticas Counter e Google Analytics - 2017 - presente