[1]
A. C. Cernicchiaro, “As pegadas do texto-onça: vestígios e sobrevivências para uma abertura na história”, Anu. Lit., vol. 15, nº 2, p. 68-77, nov. 2010.