Histórico do periódico

Quando completa seu trigésimo aniversário (1988-2018), Motrivivência percorreu nesse período uma trajetória de lutas, dificuldades e realizações.  

Sua história pode ser dividida em três fases: a) o nascimento/desenvolvimento junto ao Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe (1988-1993) e b) sua consolidação/ampliação, vinculada ao NEPEF (Núcleo de Estudos Pedagógicos da Educação Física) do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina, a partir de 1994, em formato impresso; c) sua transição para a versão digital, em 2008, no Portal de Periódicos da UFSC, sob a responsabilidade editorial do LaboMidia/UFSC – Laboratório e Observatório da Mídia Esportiva/UFSC.   

Nascida num momento de ebulição da sociedade nacional (que se preparava para eleger seu Presidente da República pela primeira vez em quase 28 anos) e da Educação Física, com a constituição de um pensamento crítico da área, Motrivivência agregou esses predicados ao seu projeto editorial desde a sua criação.  

Nos primeiros anos, a revista publicava uma edição anual; sua vinda para a UFSC proporcionou que ela assumisse periodicidade semestral. Fato comum nesse período foram as edições em formato de dossiê, com textos por submissões espontâneas e também sob encomenda para especialistas dos temas escolhidos. Desde 2015, a revista tornou-se quadrimestral e, em uma edição a cada ano, traz uma seção temática com chamada pública.  

Seguindo a tendência mundial dos periódicos científicos, Motrivivência é publicada exclusivamente em formato digital desde 2007, na plataforma SEER e acolhida no Portal de Periódicos da BU/UFSC, sendo que todo o acervo da revista foi digitalizado e disponibilizado em seu site em acesso livre para leitura e download. 

Por ocasião do 25ª aniversário, Motrivivência publicou um artigo sobre sua trajetória histórica e perspectivas, em que mais detalhes podem ser conhecidos: https://goo.gl/oIQGEf