Histórico do periódico

Mundos do Trabalho é uma publicação do GT "Mundos do Trabalho" da Associação Nacional de História (ANPUH-Brasil). Criada em 2009, foi concebida para suprir uma carência identificada pelos pesquisadores da área com relação a uma publicação específica no Brasil. A revista abriu espaço para artigos fundamentados em pesquisas inéditas em história social do trabalho realizadas tanto por pesquisadores em processo de formação quanto por especialistas reconhecidos. No final de 2011 foi avaliada pelo Qualis periódicos da Capes pela primeira vez e recebeu a qualificação B2, como reconhecimento inicial de sua qualidade editorial.

Desde o primeiro número, recebeu contribuições de pesquisadores europeus, africanos, asiáticos e latino-americanos e, ao longo dos anos, observou-se uma forte tendência de diversificação regional, que se expressa tanto no esforço editorial de organizar dossiês temáticos quanto nas contribuições que têm chegado de todas as regiões do Brasil. O crescente número de contribuições qualificadas em idioma espanhol vem posicionando a revista como uma referência importante do campo na América Latina. Mais recentemente, foram oferecidos os primeiros artigos em inglês, favorecendo o diálogo com um público ainda mais expressivo. Sua crescente visibilidade deve-se, principalmente, à efervescência dos debates atuais no campo da história do trabalho, à qualidade e ao ineditismo dos textos publicados, à seriedade no processo de avaliação cega por pares e, ainda, à boa articulação internacional dos pesquisadores envolvidos no GT Mundos do Trabalho da ANPUH.

O periódico vem tendo um papel fundamental na difusão nacional e internacional da pesquisa recente e dos principais debates em curso na área. Sua ampla circulação, garantida por formato online e de acesso livre, a transforma em alavanca desses debates e em fórum privilegiado de um intercâmbio acadêmico que tende a ser cada vez mais internacionalizado. Por tudo isso, Mundos do Trabalho consolidou-se como um periódico de referência, divulgando pesquisas inovadoras, renovando o arcabouço teórico-metodológico da área e pautando o debate historiográfico.