Por “desinteligência” e "questiúnculas": representações do cotidiano e do trabalho nas docas do Recife (1891-1920)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e66320

Palavras-chave:

Trabalhadores do porto, Periódicos, Representação

Resumo

Este artigo busca, através das notícias veiculadas nos jornais de maior tiragem no período compreendido entre 1891 e 1920, na cidade do Recife, identificar as formas como tais veículos de comunicação representavam os trabalhadores portuários e como muitas vezes eram formas estereotipadas de ver o outro. Partindo do pressuposto de que nem sempre as representações se aproximam do acontecimento real, seguimos a proposição de Walter Benjamim, qual seja, fizemos uma leitura a contrapelo, que nos possibilitou enxergar para além do que os periódicos apresentaram, inclusive o cotidiano tenso do trabalho nas docas do Porto do Recife.

Biografia do Autor

José Bento Rosa Silva, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Professor do curso de História e do pós graduação em História da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Referências

ARANTES, Erika Bastos. O porto negro: cultura e associativismo dos trabalhadores portuários no Rio de Janeiro na virada do XIX para o XX. 2010. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense (UFF) Niterói, 2010.

CHALHOUB, Sidney. A cidade febril: cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

CONRAD, Robert. Os últimos anos da escravidão no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

CRUZ, Maria Cecília Velasco e. Cor, etnicidade e formação de classe no porto do Rio de Janeiro: a sociedade de Resistência dos Trabalhadores em Trapiche e Café e o conflito de 1908. Revista Usp, São Paulo, n. 68, p. 188-209, dez. 2005 - fev. 2006.

FRAGA FILHO, Walter. Encruzilhada da liberdade. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.

GITAHY, Maria Lúcia Caira. Ventos do mar: trabalhadores do porto, movimento operário e cultura urbana em Santos, 1889-1914. São Paulo: Unesp; Santos: Prefeitura Municipal, 1992.

NASCIMENTO, Luiz. História da Imprensa em Pernambuco [1821-1954]. Recife: Editora da UFPE, 1969

REZENDE, Antônio Paulo. A classe operária em Pernambuco: cooptação e resistência [1900-1922]. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, 1981.

SARTI, Ingrid. Porto vermelho. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. São Paulo: Companhia. das Letras, 1995.

SILVA, Fernando Teixeira da. Operários sem patrões: os trabalhadores da cidade de Santos no entre guerras. Campinas: Editora da Unicamp, 2003.

SOUZA, Felipe Azevedo e. A participação política das classes populares em três movimentos, Recife (c. 1880 - c. 1900). Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

Downloads

Publicado

2019-10-24

Edição

Seção

Artigos