Normalização da força e torque muscular em crianças e adolescentes

Autores

  • Giovani dos Santos Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.
  • Marco Aurélio Vaz Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.
  • Alvaro Reischak Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2011v13n6p468

Palavras-chave:

Normalização, força, torque, alometria, crianças

Resumo

Os métodos tradicionais de normalização dos dados de força muscular (FM) e torque muscular (TM) têm sido considerados inadequados para ajustar apropriadamente os efeitos da massa corporal em crianças e adultos. A alometria tem demonstrado ser o método mais eficiente para comparar indivíduos de diferentes dimensões corporais. Entretanto, os valores que o expoente alométrico pode assumir para FM e TM ainda são controversos e dependem de diversos fatores relacionados à composição corporal, sexo, idade, tipo de contração e modalidade esportiva. O volume muscular (VM), atualmente, tem demonstrado ser a variável emergente para a normalização dos dados de FM e TM.

Biografia do Autor

Giovani dos Santos Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.

Graduação em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestre em Ciências do Movimento Humano (UFRGS/2007) e Especialização em Fisiologia do Exercício (UFRGS-2007).Professor da Faculdade Sogipa de Educação Física, ministrando as disciplinas Fisiologia Humana Aplicada a Educação Física I e II, Fisiologia do Exercício e Avaliação Física.

Marco Aurélio Vaz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.

Licenciatura em Educação Física (1985) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Doutorado em Cinesiologia (1996) e Pós-Doutorado em Biomecânica Musculoesquelética (2004) pela Universidade de Calgary (Canadá). Coordenador do Setor de Plasticidade Neuromuscular do Laboratório de Pesquisa do Exercício da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Membro do Conselho Mundial de Biomecânica, Membro do Conselho Executivo da Sociedade Internacional de Biomecânica e Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Biomecânica.

Alvaro Reischak Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, RS. Brasil.

Possui Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (1988) e Doutorado em Ciências Biológicas (Fisiologia) - UFRGS   (1998). Atualmente é professor associado da Escola de Educação Física da UFRGS e coordenador do Grupo de Estudos em Fisiologia e Bioquímica do Exercício - GEFEX.

Downloads

Publicado

2011-11-04

Edição

Seção

Artigos de Revisão