Perfil morfológico, maturacional, funcional e técnico de jovens futebolistas Brasileiro

Autores

  • Marcelo de Oliveira Matta Universidade Federal de Juiz de Fora. Laboratório de Avaliação Motora. Departamento de Desportos. Juiz de Fora, MG, Brasil
  • António José Barata Figueiredo Universidade de Coimbra. Faculdade de Ciência do Desporto e Educação Física. Coimbra. Portugal
  • Emerson Silami Garcia Universidade Federal de Minas. Gerais. Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Belo Horizonte, MG, Brasil
  • André Felipe Teixeira Seabra Universidade do Porto. Faculdade do Desporto. Centro de Investigação em Atividade Física, Saúde e Lazer. Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.1590/1980-0037.2014v16n3p277

Palavras-chave:

Antropometria, Capacidade funcional, Habilidade motora específica, Maturação, Futebol.

Resumo

Foram objetivos deste estudo caracterizar e comparar o perfil antropométrico, funcional e das habilidades motoras específicas (HME) de jovens futebolistas Brasileiros brasileiros sub-15 e sub-17, assim como verificar possíveis diferenças nas variáveis referenciadas em função da maturação biológica nas categorias etárias. O efetivo da amostra foi constituído por 245 futebolistas do sexo masculino (sub-15, n=161; sub-17, n=84). As medidas antropométricas incluíram a massa corporal, a estatura e as dobras cutâneas. A maturação biológica foi acedida através do desenvolvimento da pilosidade púbica. O desempenho funcional foi realizado através dos testes: salto estático e com contra-movimento, Yo-Yo intermittent endurance test (nível 2), RAST, velocidade de 5 e 30 metros e teste T de agilidade. Nas HME recorreu-se a três testes: controle da bola, condução da bola e precisão de chute. Na análise dos dados para além da estatística descritiva foi utilizado o teste t de medidas independentes e a análise da variância de medidas independentes (ANOVA). Os resultados indicaram que os futebolistas sub-17 são mais altos e pesados e apresentam um desempenho superior na generalidade das provas funcionais. Adiposidade e duas das três HME não mostraram diferenças significativas em função da categoria. Foram observadas diferenças significativas em função do estágio maturacional apenas nos sub-15 em variáveis antropométricas e funcionais. Em conclusão, os futebolistas sub-17 diferem dos sub-15 nas características antropométricas e capacidades funcionais. No entanto as HME parecem não ser sensíveis à influência da idade.

Downloads

Publicado

2014-03-31

Edição

Seção

Artigos Originais