Análise das ações de saltos de ataque, bloqueio e levantamento no voleibol feminino

Autores

  • Marcos Augusto Rocha Universidade Estadual de Londrina
  • Valdir José Barbanti Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.1590/%25x

Palavras-chave:

Voleibol, Saltos, Mulheres. <p> Volleyball, Jump, Female.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo verificar o número de saltos das ações de ataque, bloqueio e levantamento no voleibol feminino. Foram analisados 12 jogos da Superliga Nacional Feminina. Os saltos foram diferenciados em SCDA (saltos com deslocamento de ataque), SSDA (saltos sem deslocamento de ataque), SCDB (saltos com deslocamento de bloqueio), SSDB (saltos sem deslocamentos de bloqueio), LEVCS (levantamento com salto). Os jogos foram fi lmados por duas câmeras de vídeo, fixadas nos dois lados ao fundo da quadra. A coleta de dados foi realizada mediante observação dos vídeos e transcritas em planilhas. Os resultados apresentaram os maiores valores médios de saltos por jogo para as levantadoras, no tipo de salto LEVCS, com médias de 39,0 + 5,51; 57,3 + 32,23; 33 + 8,49 em jogos de 3, 4 e 5 sets respectivamente. Para as jogadoras de ponta, os maiores valores por jogo foram encontrados no tipo de salto SCDA em jogos de 3, 4 e 5 sets: 20,44 ± 5,15; 29,23 ± 7,16; 35,67 ± 13,21 respectivamente. As jogadoras de meio apresentaram os maiores valores por jogo, no tipo de salto SCDB (17,04 ± 8,19; 29,9 ± 10,85; 34,25 ± 5,62) em jogos de 3, 4 e 5 sets respectivamente. Num segundo momento, foram analisadas as diferenças existentes entre os resultados por posição (levantadora, ponta e meio) nos jogos de 3, 4 e 5 sets. Os resultados mostraram que no tipo de salto SCDA não houve diferenças significantes, somente entre as posições de ponta e meio no jogo de 5 sets. Nos saltos do tipo SSDA houve diferenças signifi cantes apenas entre as posições de levantadora e de ponta, nos jogos de 3 e 5 sets. Para os saltos do tipo SCDB não houve diferenças signifi cantes entre as posições de levantadora e de ponta. As posições não apresentaram diferenças signifi cantes em relação aos saltos tipo SCDB. Não houve diferenças signifi cantes entre as posições meio e ponta para o salto do tipo LEVCS. Pode-se concluir que as levantadoras apresentaram os maiores valores médios por jogo, para o salto do tipo LEVCS, as jogadoras de ponta apresentaram os maiores valores médios por jogo, para o salto do tipo SCDA e as jogadoras de meio apresentaram os maiores valores médios por jogo para, o salto do tipo SCDB.

Biografia do Autor

Marcos Augusto Rocha, Universidade Estadual de Londrina

Mais informações:
Currículo Lattes

Valdir José Barbanti, Universidade de São Paulo

Mais informações:
Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2007-09-05

Edição

Seção

Artigos Originais