Gênero e ensino de Artes Visuais: desafios, armadilhas e resistências

Autores

DOI:

https://doi.org/10.1590/1806-9584-2019v27n356280

Palavras-chave:

Estudos de gênero, Ensino de artes visuais, Feminismos

Resumo

Este artigo origina-se de uma inquietação suscitada pela ausência de pesquisas acadêmicas
que articulem estudos de gênero e ensino de Artes Visuais. Para friccionar e problematizar o silêncio que ronda este tema, realizamos três movimentos. Iniciamos contextualizando alguns impasses que reiteradamente têm afastado a discussão de gênero da disciplina; em seguida, realizamos a análise de alguns artigos – disponíveis nos anais de dois importantes eventos da área de arte e educação – que abordam a temática. Nessa análise, lançamos mão dos conceitos gênero, poder e resistência, apreendidos de autores e autoras vinculados ao pós-estruturalismo, visando ao apontamento de alguns desafios colocados por esses artigos. No último movimento, esboçamos algumas intervenções feministas, ensejando que tais discussões se proliferem no ensino de arte.

Biografia do Autor

Taís Ritter Dias, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola Estadual de Ensino Médio Patrulhense

Licenciada em Artes Visuais (UFRGS) e Mestra em Educação (UFRGS). Professora de Arte na rede pública estadual, no município de Santo Antônio da Patrulha, Rio Grande do Sul. É integrante do grupo de pesquisa ARTEVERSA – Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência (www.ufrgs.br/arteversa).

Luciana Gruppelli Loponte, Departamento de Ensino e Currículo, Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora e Mestre em Educação, Licenciada em Educação Artística – Habilitação Artes Plásticas. Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação.  É líder do grupo de pesquisa ARTEVERSA – Grupo de estudo e pesquisa em arte e docência (www.ufrgs.br/arteversa).

Referências

ALSOUZA, Daysa Darcin; PUCCETTI, Roberta. “Poética visual do feminino na educação: a identidade feminina adolescente”. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS – SUBJETIVIDADES, UTOPIAS E FABULAÇÕES, 20., 2011, Rio de Janeiro, UERJ. Anais... Rio de Janeiro: ANPAP, 2011, p. 392-405.

ARAÚJO, Evaldo Miranda de. “O machismo em imagens”. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM ARTES PLÁSTICAS – TRANSVERSALIDADES NAS ARTES VISUAIS, 18., 2009, Salvador, UFBA. Anais... Salvador: ANPAP, EDUFBA, 2009, p. 3281-3295.

ARAÚJO, Roberta Melo. “Interculturalidade e gênero no ensino de artes visuais: vivências de uma brasileira em meio a egípcias de Alexandria”. In: CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE/EDUCADORES DO BRASIL – ARTE/EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA: METAMORFOSES E NARRATIVAS DO ENSINAR E APRENDER, 24., 2014, Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BRASIL. Lei 13.415, de 17 de fevereiro de 2017. Disponível em https://legis.senado.leg.br/norma/602639.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm.

BUCHMANN, Luciano Parreira; FIGUEIREDO, Mariana Galli. “Professoras e suas escolhas: estratégias à dominação masculina no ensino da arte por meio do grupo de estudos em artes visuais – Polo Arte na escola da FAP”. In: CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE/EDUCADORES DO BRASIL – ARTE/EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA: METAMORFOSES E NARRATIVAS DO ENSINAR E APRENDER, 24., 2014, Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa: UEPG, 2014.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

COUTINHO, Andréa Senra. Poéticas do feminino/feminismo na arte contemporânea: transgressões para o ensino de artes visuais em escolas. 2009. Tese (Doutorado em Estudos da Criança) – Universidade do Minho, Braga, Portugal.

DIAS, Belidson. O i/mundo da educação da cultura visual. Brasília: Editora da Pós-Graduação em Arte da Universidade de Brasília, 2011.

DIAS, Taís Ritter. Ensino de arte e feminismos: urdiduras entre relações de poder e resistências. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

EFLAND, Arthur; FREEDMAN, Kerry; STUHR, Patrícia. La educación en el arte posmoderna. Barcelona: Paidos, 2003.

ERIBON, Didier. Michel Foucault. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

FOUCAULT, Michel. A história da Sexualidade I: A Vontade de Saber. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz & Terra, 2014.

FRADE, Isabela; CAETANO, Alessandra; GÓES, Jéssica; SARAIVA, Letícia. “Refletores em convergência: questões de gênero”. In: CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE/EDUCADORES DO BRASIL – ARTE/EDUCAÇÃO: CORPOS EM TRÂNSITO, 22., 2012, São Paulo. Anais... São Paulo: UNESP, 2012.

JARDIM, Silvia Regina Marques; ABRAMOWICZ, Anete. “Tendências da produção paulista sobre gênero e educação: um balanço de dissertações de mestrado”. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 2, n. 3, p. 93-117, mar. 2005.

LOPONTE, Luciana Gruppelli. “Pedagogias visuais do feminino: arte, imagens e docência”. Currículo sem fronteiras, v. 8, n. 2, p. 148-164, jul./dez. 2008.

LOPONTE, Luciana Gruppelli. “Artes visuais, feminismos e educação no Brasil: a invisibilidade de um discurso”. Universitas Humanística, p. 143-163, jan./jun. 2015.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pósestruturalista. Petrópolis: Vozes, 2003.

MOSÉ, Viviane. Toda Palavra. Rio de Janeiro/São Paulo: Record, 2006.

PINTO, Céli Regina Jardim. Com a palavra o senhor presidente José Sarney: ou como entender os meandros da linguagem do poder. São Paulo: Hucitec, 1989.

POLLOCK, Griselda. Vision and difference: feminism, feminity and the histories of art. New York: Routledge, 2003.

PRECIADO, Beatriz. “Multidões queer: notas para uma política dos ‘anormais’”. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 11-20, jan./abr. 2011.

ROSEMBERG, Fúlvia. “Caminhos cruzados: educação e gênero na produção acadêmica”. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 1, p. 47-68, jan./jul. 2001.

SCHWENGBER, Maria Simone Vione. “O uso das imagens como recurso metodológico”. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Orgs.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012. p. 261-278.

SCOTT, Joan. “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”. Educação e Realidade, v. 20, n. 2, p. 71-99, jan./dez. 1995.

SILVA, Silvia Tereza Moura; VIDAL, Fabiana Souto Lima. “Mulheres artistas: relato de uma aprendizagem mútua”. In: CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE/EDUCADORES DO BRASIL – ARTE/EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA: METAMORFOSES E NARRATIVAS DO ENSINAR E APRENDER, 24., 2014, Ponta Grossa. Anais... Ponta Grossa: UEPG, 2014.

SOUZA, Edvandro Luise Sombrio de. Fronteiras, lugares de solidariedade: O que dizem os programas de Artes Visuais para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental sobre as diversidades sexuais e de gênero? 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Edição

Seção

Artigos