O bonde do desejo: o Movimento Feminista no Recife e o debate em torno do sexismo (1927-1931)

Autores

  • Alcileide Cabral do Nascimento Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2013000100003

Palavras-chave:

Feminismos, Movimento Feminista, Relações de Gênero, Cidadania

Resumo

Este artigo investiga como o Movimento Feminista em Recife problematizou o silêncioe a negação dos direitos políticos às mulheres na Primeira República. Estrategicamente, asfeministas tiveram como foco a conquista dos direitos políticos, como possibilidade de alcançara igualdade civil e os direitos sociais. A intensa utilização da imprensa, do rádio e a criação dejornais e revistas pelas feministas falam de práticas de liberdade e de jogos de poder quebuscam redefinir as relações de gênero nos marcos do regime republicano e democrático. Seo Movimento não combateu a naturalização da diferença entre os sexos, questionou seuspressupostos e desnudou a profunda e entranhada concepção de inferioridade das mulheresdiante dos homens. As feministas pegaram o moderno bonde e fizeram os percursos do desejo.

Downloads

Publicado

2013-05-08

Edição

Seção

Artigos