Redes Sociais e Indicações para Processos de Recrutamento e Seleção: uma Análise pela Perspectiva dos Candidatos

Helder Pontes Régis, Geyza Cunha D'Ávila, Lúcia Maria Barbosa de Oliveira

Resumo


Apoiado nas premissas teóricas das redes sociais, este estudo busca compreender os significados compartilhados pelos candidatos que foram indicados por terceiros a participar de processos de seleção. Mais especificamente, toma como foco a percepção sobre o poder da rede de relacionamentos na indicação, considerada como parte do processo de seleção. A coleta de dados identificou os papéis sociais desempenhados pelas pessoas que fazem as indicações. Um questionário fechado foi usado para medir o grau de interação, e uma questão aberta foi usada nas entrevistas para capturar os significados compartilhados sobre a indicação como parte do processo de seleção. Os dados foram formatados segundo a estatística descritiva e a análise de conteúdo para material textual. A amostra reuniu 30 candidatos que, no transcorrer de sua carreira profissional, participaram de algum processo de seleção através da indicação. Os 30 candidatos citaram um total de 119 pessoas e os seus respectivos papéis sociais. Essas 119 pessoas foram as responsáveis pelas indicações. Os significados compartilhados indicam a existência de categorias próprias de pensamento sobre o contexto das indicações para os processos de seleção. O estudo traz contribuição teórica para a área de recrutamento e seleção, por mostrar o poder das redes sociais e a existência de aspectos tanto positivos quanto negativos relacionados às indicações. Vale destacar as categorias “responsabilidade” e “temor” dos que foram indicados, no que diz respeito a não atenderem às expectativas daqueles que os indicaram.

Palavras-chave: redes sociais, indicações, recrutamento e seleção.


Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.