Validação e testagem de uma escala de autoconceito profissional

Maíra Gabriela Santos de Souza, Katia Puentes Palacios

Resumo


O autoconceito é definido como conjunto de atitudes e crenças que um indivíduo tem acerca de si, sendo que teóricos defendem a existência de uma imagem do eu voltada para o trabalho. O objetivo desta pesquisa foi validar e testar uma escala de autoconceito profissional. Realizaram-se dois estudos. Participaram do primeiro 505 estudantes graduação e pós-graduação e do segundo 405 trabalhadores de duas organizações. O instrumento construído no estudo 1 foi composto por 49 itens respondidos em escala de freqüência de 5 pontos. A inspeção da matriz de correlações, o resultado do KMO (0,86) e a significância do teste de Bartlett evidenciaram fatorabilidade da matriz. Para extração dos fatores, utilizou-se método Principal Axis Factoring (PAF) - rotação Promax. A solução fatorial foi composta de 5 fatores (37 itens) explicando 45,24% da variância do fenômeno e apresentaram alfa de Cronbach entre 0,88 e 0,55. Adotando os critérios anteriores, a escala no estudo 2 ficou composta por 28 itens distribuídos em 4 fatores (realização, competência, autoconfiança e saúde), explicando 49,7% da variância do fenômeno, com alfas entre 0,76 e 0,90. Conclui-se que os procedimentos utilizados na construção da escala foram válidos e eficazes tratando-se de ferramenta confiável para mensuração deste fenômeno.

Palavras-chave


Autoconceito; Validação e testagem; Análise fatorial

Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.