A Psicologia Organizacional e do Trabalho no Brasil: uma Análise a partir das Redes Sociais de Pesquisadores da Pós-Graduação

Elaine Rabelo Neiva, Ariane Agnes Corradi

Resumo


Este artigo descreve a configuração da Psicologia Organizacional e do Trabalho brasileira a partir da análise das redes sociais informais de seus pesquisadores. O estudo foi realizado com base no autorrelato dos
pesquisadores da pós-graduação em Psicologia no Brasil. Foram investigados alguns tipos de conteúdo intercambiado entre os pesquisadores e fatores que influenciam os relacionamentos entre eles. Os dados foram analisados por meio dos softwares UCINET, NetDraw e SPSS. A classificação dos atores como pertencentes à área de Psicologia Organizacional e do Trabalho foi feita por meio da análise de conteúdo de
seus Currículos Lattes. Os resultados mostraram que a rede de Psicologia Organizacional e do Trabalho apresenta conectividade voltada para subgrupos e maior ênfase na construção de relacionamentos com
pesquisadores estrangeiros do que com pesquisadores de áreas afins. Há pouca relação entre as atividades de networking e a produtividade individual dos atores, quando se considera a ocupação de papéis centrais
por bolsistas de produtividade. A conclusão aborda as dinâmicas de evolução da área e o papel de variáveis individuais e institucionais para a interpretação dos resultados.

Palavras-chave: redes sociais, pesquisadores, produção de conhecimento científico, Psicologia Organizacional e do Trabalho.


Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.