A Ergonomia da Atividade pode Promover a Qualidade de Vida no Trabalho? Reflexões de Natureza Metodológica

Mário César Ferreira

Resumo


As consequências negativas das transformações aceleradas que marcam o mundo da produção de mercadorias e serviços têm contribuído decisivamente para o investimento em Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) nas organizações. Uma caracterização global dos limites dos enfoques assistencialistas – de natureza individual, assistencialista e
hegemônica – de QVT fornece os fundamentos de reflexão para a abordagem da temática no campo da Ergonomia da Atividade Aplicada à Qualidade de Vida no Trabalho. O ensaio teórico discute os aportes metodológicos da Ergonomia da Atividade com base em uma abordagem de QVT de orientação preventiva e contra-hegemônica. A intervenção eficaz e duradoura no campo da QVT implica remover ou atenuar as causas primeiras do mal-estar dos trabalhadores em termos de condições, organização e relações socioprofissionais de trabalho e, em especial, inverter o paradigma dominante do “indivíduo como variável de ajuste” para o preconizado pela Ergonomia, de “adaptar o trabalho ao ser
humano”. Limites e desafios são apresentados para a consolidação de uma abordagem teórico-metodológica da Ergonomia da Atividade voltada para a Qualidade de Vida no Trabalho.

Palavras-chave: ergonomia da atividade, qualidade de vida no trabalho, método.


Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.