Saúde Organizacional: uma Proposta de Modelo de Análise

Marilia Nunes Fernandes, Sinésio Gomide Júnior, Áurea de Fátima Oliveira

Resumo


O construto saúde organizacional surgiu na década de cinquenta do século passado, como uma tentativa de os autores responderem às críticas dirigidas ao conceito de efetividade. Desse modo, o conceito de saúde organizacional surgiu vinculado ao de efetividade, mas dele se distinguiu pela abrangência. Definida como efetividade expandida, a conceituação de saúde organizacional foi alvo de inúmeras teorizações com poucas tentativas de teste empírico. Assim, este estudo teve por objetivo testar um modelo teórico de impacto de comportamentos éticos organizacionais e da confiança do empregado no sistema empregador
sobre a saúde organizacional, a partir da ótica dos trabalhadores. Empregando instrumentos psicometricamente construídos e validados, o estudo encontrou como principais antecedentes da percepção de saúde organizacional variáveis relativas a aspectos internos da organização. A variável de maior impacto e, portanto, de maior contribuição à explicação foi gestão do sistema, que
diz respeito à qualidade do gerenciamento organizacional sobre subsistemas físicos e humanos. Os resultados foram discutidos com base na utilização do construto saúde organizacional como instrumento de gestão, e uma agenda de pesquisa foi sugerida.

Palavras-chave: saúde organizacional, ética, confiança, gestão do sistema.


Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.