Noções de “trabalho feminino” no chão de fábrica de uma empresa líder no setor de eletrodomésticos

Juliana de Carlo, Yára Lúcia Mazziotti Bulgacov

Resumo


Este trabalho investiga noções de "feminino" nas narrativas de atores organizacionais responsáveis pela atribuição de funções aos trabalhadores de chão de fábrica em empresa líder no setor de eletrodomésticos. Coerente com entendimento da dimensão social e cultural das noções de feminino e masculino, e a partir de revisão bibliográfica no campo das organizações e da psicologia social, constrói-se referencial teórico de análise. A pesquisa configura-se como estudo de caso de natureza descritivo-qualitativa. Tomando-se como dados empíricos narrativas dos responsáveis pela contratação dos trabalhadores, pode-se afirmar que as noções de gênero atribuídas às trabalhadoras apontam para características tradicionalmente associadas às mulheres, estabelecendo-se um padrão de feminilidade para o sexo feminino nessa fábrica. Percebe-se que o que muda é o valor de funcionalidade dado a esse conjunto de características. Os mesmos traços que historicamente justificaram o lugar das mulheres fora da fábrica, justificam, atualmente, seu lugar dentro da produção. Um lugar, entretanto, que continua a guardar as marcas da discriminação e segregação, no que diz respeito tanto ao tipo de ocupação como às oportunidades e ao status que lhes é conferido.

Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.