A estrutura cognitiva do significado do trabalho

Livia de Oliveira Borges, Álvaro Tamayo

Resumo


Propõe-se um modelo de estrutura cognitiva do significado do trabalho, composto de 4 facetas: centralidade do trabalho, atributos valorativos (o que deve ser), atributos descritivos (o que é) e hierarquia dos atributos. Os atributos valorativos e descritivos são considerados a partir de suas estruturas fatoriais. Para avaliar o amparo empírico desse modelo e explorar as relações existentes entre as citadas facetas, desenvolveu-se o estudo com 622 empregados de uma construtora habitacional e de redes de supermercado, aplicando questionário estruturado, em duas versões (com o uso de recursos não-verbais) em conformidade ao nível de instrução. Desenvolvem-se análises de regressão, que, entre outros aspectos, sublinham a independência da centralidade do trabalho e revelam o imbricado relacionamento dos fatores dos atributos valorativos e descritivos. O desenvolvimento de análise de clusters com o conjunto de escores nas 4 facetas do significado do trabalho revelou seis padrões (configurações) do significado do trabalho, compartilhadas entre segmentos dos participantes da amostra. Os padrões majoritários caracterizam-se por atribuição de elevada centralidade ao trabalho e por articular valores econômicos (de sustento da vida) com expressivos (êxito e realização pessoal). Por fim, reflete-se sobre o modelo proposto e os resultados encontrados, apontando como podem ser úteis na administração de pessoas.

Palavras-chave


Significado do trabalho. Valores. Percepção do trabalho. Construção civil. comerciários. Work meaning. Values. Perception of work. Building firm. Supermarket chains.

Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.