Criatividade e comprometimento organizacional: suas relações com a percepção de desempenho no trabalho

Carlos Alberto Monsores da Fonseca, Antonio Virgílio Bittencourt Bastos, Antonio Virgílio Bittencourt Bastos

Resumo


No contexto atual, onde a regra nas organizações passou a ser a mudança, deixando cada vez mais longe a estabilidade apregoada pelos economistas neoclássicos, a criatividade, o comprometimento e uma forma adequada de estimular e avaliar o desempenho no trabalho passaram a ser não apenas desejados, mas buscados, empenhando-se as empresas em incorporá-los em sua cultura. Face à inexistência de trabalhos relacionando esses três fenômenos, buscou-se verificar possíveis relações entre o comprometimento organizacional e a percepção de estímulos e barreiras à criatividade no ambiente organizacional com o desempenho no trabalho. O estudo foi conduzido em uma empresa do setor financeiro, atingindo uma amostra aleatoriamente escolhida de 750 funcionários de agências de portes distintos em todo o país. Os dados foram coletados através de um questionário. Os resultados obtidos na investigação confirmaram a hipótese da pesquisa, indicando que, nos ambientes de trabalho em que a criatividade é estimulada e nos quais se encontram níveis significativos de comprometimento organizacional, a percepção de desempenho em relação aos pares é maior do que naqueles em que essas condições não são atendidas.

Palavras-chave


Criatividade. Comprometimento organizacional. Desempenho no trabalho. Avaliação de desempenho. Inovação .Mudança organizacional. Creativity. Organizational commitment. Work performance. Performance appraisal. Innovation. Change in organizations.

Texto completo:

PDF


Rev. Psi: Org e Trab R. Eletr. Psico., ISSN 1984-6657, Brasília, Brasil.