Modelo Hélice Tríplice: um mecanismo econômico e ideológico para concretizar os interesses do capital

Autores

  • Deise Luiza da Silva Ferraz
  • Valéria Bonadia Marucchi Martoni
  • Daniela Chamberlain

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8951.2012v13n103p115

Palavras-chave:

Hélice tríplice, Interesses do Capital, Fundo Público, Academia

Resumo

Esse ensaio enfoca o processo de produção de conhecimento científico nas universidades e sua associação com os interesses do capital. Objetivando elaborar reflexões acerca do modelo conhecido como Hélice Tríplice, o qual contempla a parceria entre academia-empresa-governo, defendemos que o fundo público atua como um mecanismo econômico e ideológico que possibilita concretizar os interesses do capital. A elaboração deste ensaio foi concebida conforme entendimento e discussões de Tragtenberg e Oliveira sobre as relações entre o Estado e a iniciativa privada. O intuito é demonstrar que a (re)distribuição do fundo público tende a ser destinada ao atendimento dos interesses da classe capitalista, em função da própria natureza do Estado, que se revela no modelo Hélice Tríplice: academia-empresa-governo atuando sobre um mesmo eixo (interesses privados). A implementação do modelo Hélice Tríplice precisa ser analisada a partir da leitura materialista dialética e para além das suas formas de manifestação a fim de evidenciarmos a necessidade de intensificar as disputas pelo fundo público para a construção de conhecimentos e tecnologias que estejam à serviço da emancipação humana e não da perpetuação de sua alienação.

Biografia do Autor

Deise Luiza da Silva Ferraz

Doutora, Mestra e Bacharela em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com um período de estágio-doutoral no Centro de Investigação em Sociologia Econômica e das Organizações (SOCIUS) do Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa. Professora, pesquisadora e orientadora no Programa de Mestrado Interdisciplinar em Organizações e Desenvolvimento da FAE - Centro Universitário (PMOD/FAE). Pesquisadora Júnior IPEA/CAPES, Pesquisadora dos seguintes grupos de pesquisa: SOCIUS (ISEG/UTL), Economia Política do Poder em Estudos Organizacionais (UFPR/CAPES). Coordenadora de Projetos de Pesquisas financiados por órgãos nacionais de fomento (CNPQ, edital 020/2010 - Processo: 402541/2010-3 e IPEA/CAPES, edital 01/2010 - Processo 177/2010). Trabalho de forma interdisciplinar com as seguintes áreas científias: Sociologia, Antropologia, Psicologia, Economia e Administração.

Valéria Bonadia Marucchi Martoni

Mestranda no Programa de Mestrado Interdisciplinar em Organizações e Desenvolvimento da FAE - Centro Universitário (PMOD/FAE). Possui graduação em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (2002). Especialização em MBA Finanças, pelo Centro de Ensino Superior de Maringá (2006). Atualmente é Administradora na Universidade Federal de Ouro Preto.

Daniela Chamberlain

Mestranda no Programa de Mestrado Interdisciplinar em Organizações e Desenvolvimento da FAE - Centro Universitário (PMOD/FAE). Graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Brasil(2000). Advogada do Grupo Frischmann's, Brasil.

Downloads

Publicado

2012-12-27

Edição

Seção

Artigos