Normalização e biopolítica em psiquiatría e saúde mental

Autores

  • Jorge Márquez Valderrama Universidade Nacional da Colômbia.

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8951.2014v15n107p29

Palavras-chave:

Normalização, Biopolítica, Psiquiatria, Saúde mental, Risco

Resumo

Muitas das questões desenvolvidas por Michel Foucault levantam hoje novos interrogantes sobre as sociedades nas que vivemos. Na crítica do conceito de medicalização, elaborada a partir dos anos 1970, tem se tentado projetar uma especie de superação do planteamento de Foucault acerca da sociedade que emerge com a modernidade ocidental. A ligereiza na abordagem deste tema basea-se na falta de cuidado das ciências sociais ao respeito da normalização como tal e da maneira como Foucault expôs dito conceito. Aborda-se neste artigo o trabalho do autor francês através de novas leituras que permitam dilucidar sua conceiçao da normalização. Explora-se a principal fonte deste conceito, assim como alguns dos estudos recentes, para delimitá-lo e assinalar sua atualidade para a compreensão de aspectos vitais das sociedades contemporâneas. 

Biografia do Autor

Jorge Márquez Valderrama, Universidade Nacional da Colômbia.

Membro da  Universidade Nacional da Colômbia.

Publicado

2014-12-17

Edição

Seção

Dossiê