O uso da categoria "raça" na biomedicina

Silvia Cardoso Bittencourt, Sandra Caponi

Resumo


O propósito deste estudo é analisar o conceito de “raça” na biomedicina a partir das reflexões de Hannah Arendt, Lewontin e Sahlins. A primeira considera que a categoria “raça” está ligada a apreciações ideológicas e vinculada à idéia de racismo, e que não pode ser considerada como uma categoria biológica. A partir de exemplos de utilização de “raça” na área biomédica, questiono seu uso enquanto categoria de análise. Esse uso tem gerado discussões epistemológicas em várias áreas do conhecimento, pois carrega aspectos ideológicos e políticos nem sempre explícitos. Um efeito indesejável ao admitir características biológicas inatas é que fatores relacionados ao modo de vida e ao contexto ao qual o indivíduo pertence podem ser negligenciados. Associar condições de aptidão, saúde ou propensão a determinada conduta com “raça” como categoria biológica desvia o olhar de aspectos históricos, condições sócio-econômicas e discriminação cultural, podendo levar à defesa de posições ideológicas próximas ao determinismo biológico.


Palavras-chave


Determinismo biológico; Raça; Biomedicina;Racismo; Etnicidade; Ideologia; Biological determinism; Race; Biomedicine; Racism; Ethnicity; Ideology.

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-9851.2009v10n97p290

Direitos autorais 2009 Silvia Cardoso Bittencourt, Sandra Caponi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Não Adaptada.

 

Cad. de Pesq. Interdisc. em Ci-s. Hum-s., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1984-8951.