A conquista da Itália e a presença do outro. A literatura da migração no cenário italiano contemporâneo

Vera Horn

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2175-7992.2009n36p149

Em 1990, com a publicação das obras Io venditore di elefanti, de Pap Khouma, e Immigrato, de Salah Methnani, começa a destacar-se na um novo tipo de texto literário que, relacionando-se a experiências análogas em outros países, sobretudo europeus, foi inicialmente chamada de literatura da migração ou literatura migrante. A produção dos escritores migrantes articula-se na Itália em tempos diversos conforme a evolução do fenômeno. Inicialmente o escritor migrante contava com um colaborador italiano, e a temática de suas obras refletia frequentemente aspectos relacionados à imigração. Eram os primeiros testemunhos de uma necessidade de comunicação aliada à representação da figura do outro em cuma sociedade que até há pouco tempo conhecera quase somente a emigração. Depois de um período de retração, a literatura da migração é hoje um fenômeno em contínuo crescimento e promove a expansão dos horizontes da literatura italiana, assim como de materiais e instrumentos capazes de leva-la à soluções inéditas, não obstante a condição fronteiriça que evidencia sua condição como literatura "outra".


Palavras-chave


Imigração; Itália; Literatura da migração; Identidade; Cânone.

Texto completo:

PDF PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/fragmentos.v0i36.24203

Revista Fragmentos, ISSNe 2175-7992, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.