A poesia traduzida e o Modernismo brasileiro

Autores

  • Aglaé Fernandes Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7992.2016v23n1p62

Palavras-chave:

Modernismo, Poesia Traduzida, Polissistemas

Resumo

Neste artigo, apontamos que um grande número de poetas se envolveu com a tradução de poesia, ao longo do período modernista da literatura brasileira. A poesia traduzida trouxe o aporte necessário ao processo de renovação da estética poética e passou então a assumir relevância no centro do sistema literário local, fomentando-o e enriquecendo-o naquele momento de viragem, desencadeado a partir da Semana de 22. Paralelamente às intraduções, houve um signiicativo aumento da ocorrência de extraduções, o que atestaria o êxito do projeto de renovação estética, e, por conseguinte, a consolidação da moderna poesia brasileira tanto no interior do seu próprio sistema, quanto no âmbito das relações intersistêmicas.

Biografia do Autor

Aglaé Fernandes, Universidade Federal da Paraíba

Professora de Língua e Literatura Francesa do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas da Universidade Federal da Paraíba. Graduação em Letras - Habilitação Francês / Português (UFPB); Especialização em Língua e Literatura Francesa (UFPB); Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Letras (UFPB); Doutorado em Estudos da Tradução (UFSC) .

Downloads

Publicado

2016-12-22

Edição

Seção

Artigos