Avaliação da poeticidade tradutória no poema “Les Pas” de Paul Valéry

Autores

  • Lavínia Teixeira Gomes Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7992.2016v23n1p72

Palavras-chave:

Valéry, Poeticidade Tradutória, Avaliação, Critérios

Resumo

O presente artigo tem como objetivo cotejar três traduções para o português do poema “Les Pas” de Paul Valéry (1922), feitas por Guilherme de Almeida (1965), Cláudio Veiga (1972) e Nelson Ascher (1989), a fim de evidenciar as estratégias adotadas em cada tradução para dar conta dos efeitos de sentido e da forma do poema original. Para isso, inicio minha análise fazendo um levantamento dos aspectos mais significativos do texto original, tais como os recursos métricos e o esquema sonoro, a estrutura gramatical dos versos e a paisagem léxico-semântica. Selecionei estes aspectos com base nos critérios propostos na metodologia desenvolvida por Britto (2002), que defende a ideia de que a tradução de poesia é possível, assim como sua avaliação. Para isso, identifiquei os elementos formais e semânticos mais significativos do texto poético original e, em seguida, apliquei os conceitos de “correspondência” e “perda” às diferentes traduções do poema “Les Pas”. As referidas traduções encontram-se no final do texto.

Biografia do Autor

Lavínia Teixeira Gomes, Universidade Federal da Paraíba

Mestrado em Didactologie des langues et des cultures pelo Université Sorbonne Nouvelle - Paris 3, França(2004)
Professor Assistente II da Universidade Federal da Paraíba , Brasil

Downloads

Publicado

2016-12-22

Edição

Seção

Artigos