Do Rio de Janeiro a New York: crônicas de José Martí e Machado de Assis

Autores

  • Rosario Lázaro Igoa UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7992.2016v23n1p85

Palavras-chave:

Machado de Assis, José Martí, Crônica, Século XIX

Resumo

O presente artigo possui como ponto de partida a constatação das escassas articulações críticas entre o universo cronístico brasileiro e hispano-americano do século XIX. Em função disso, discute a mobilidade de cronistas e textos para os periódicos oitocentistas, as derivas geográicas e a localização em determinadas cidades, como o Rio de Janeiro, New York, Caracas ou Buenos Aires. A seguir, propõe uma leitura comparativa de diferentes crônicas do brasileiro Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) e do cubano José Martí (1853-1895) com relação aos dispositivos irônicos e ao vínculo que instauram com o leitor.

 

Biografia do Autor

Rosario Lázaro Igoa, UFSC

Doutorado em Pós-Graduação em Estudos da Tradução pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil(2016)
Pós-doutorado da Universidade Federal de Santa Catarina , Brasil

Publicado

2016-12-22

Edição

Seção

Artigos