Dilaceramento de corpos: o Sparagmós em Flávia, cabeça, tronco e membros

Autores

  • Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa UFMG
  • Alice Carvalho Diniz Leite UFMG

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7992.2016v23n1p9

Palavras-chave:

Recepção Clássica, Literatura Comparada, Ritual Dionisíaco, Sparagmós

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo sobre Flávia, cabeça, tronco e membros, peça teatral escrita por Millôr Fernandes em 1963. A obra traz em sua composição elementos que sugerem relações possíveis com os estudos clássicos, principalmente quanto à tragédia clássica, e com a dramaturgia de Shakespeare. Há pistas signiicativas do compromisso do autor com o gênero trágico, já que o subtítulo da peça é “tragédia ou comédia em dois atos”. Como ponto de conexão entre o texto teatral e a tragédia ática, propomos a palavra grega σπαραγμός, sparagmós, cujo sentido carrega as ideias de despedaçamento, dilaceração, mutilação. Entre os principais temas de Flávia, cabeça, tronco e membros destacamos: personagens de caráter transgressor, a demanda de destruição e o desejo irrefreável de cometer crimes.

Biografia do Autor

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa, UFMG

Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Brasil(1997). Professor Titular da Universidade Federal de Minas Gerais , Brasil. 

Alice Carvalho Diniz Leite, UFMG

Mestranda em Teoria da Literatura e Literatura Comparada no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários - Pós-Lit/UFMG. Bolsista da Capes. Graduada em Letras Português (Licenciada) da Universidade de Brasília (UnB).

Downloads

Publicado

2016-12-22

Edição

Seção

Artigos