Impacto dos fatores econômicos associados ao microempreendedor individual (MEI): uma análise para os estados brasileiros

Rodrigo Nobre Fernandez, Naloir Lima, Gabrielito Menezes

Resumo


Para promover e incentivar a criação e a formalidade de empreendedores foi criado pela Lei Complementar nº128/2008 a figura do Microempreendedor Individual (MEI), tendo por objetivo trazer para a formalidade os inúmeros empreendedores informais existentes. Esse trabalho buscou identificar os fatores associados para a geração dessas empresas MEIs. Para isso, utilizou-se dados em painel tendo como variável dependente o número de MEIs criadas e como possíveis determinantes, algumas variáveis socioeconômicas referentes aos 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal, durante os anos de 2012 a 2016.  Os resultados apontam que um aumento na taxa de desemprego, queda na média salarial, acréscimo no orçamento do SEBRAE mostraram que existe um aumento considerável na média de criação dos MEIs. Contudo esses resultados não se mantiveram robustos ao realizarem-se as estimativas de efeito fixo.

Palavras-chave


MEI; Microeempreendedor; Empreendedorismo

Texto completo:

PDF/A

Referências


As BRASIL. Lei Complementar nº 128, de 19 de dezembro de 2008. Cria a figura do microempreendedor individual – MEI e modifica partes da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa – Lei Complementar 123/2006. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2008.

BREUSCH, T. S.; PAGAN, A. R. The Lagrange Multiplier Test and its Applications to Model Specification in Econometrics. The Review of Economic Studies, v. 47, n. 1, p. 239–253, 1 jan. 1980.

CORSEUIL, C. H. L.; NERI, M. C.; ULYSSEA, G. Uma análise exploratória dos efeitos da política de formalização dos microempreendedores individuais. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, 2014.

DORNELAS, J. Empreendedorismo corporativo: como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. Rio de Janeiro: Campus, 2003. _. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

RENGIFO, F. A. G. Definición de los lineamientos generales de una política pública para el fomento del emprendimiento en el Ecuador. Maestría em Gerencia para el Desarrollo. Mención en Gerencia Social—Ecuador: Universidad Andina Simón Bolívar, 2015.

GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR (GEM). 2016. Disponível

em:. Acesso em: 23 jul. 2018.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. Bookman Editora, 2009.

HAUSMAN, J. A. Specification Tests in Econometrics. Econometrica, v. 46, n. 6, p. 1251–1271, 1 nov. 1978.

HOLZMANN, R.; JØRGENSEN, S. Social risk management: A new conceptual framework for social protection, and beyond. International Tax and Public Finance, v. 8, n. 4, p. 529-556, 2001.

LAVINAS, L.; FERRAZ, C. Inclusão Financeira, Crédito e Desenvolvimento: que papel uma renda básica de cidadania pode jogar nesse processo. In: XIII Congresso Internacional da Rede Mundial de Renda Básica, São Paulo. 2010.

LAVINAS, L.; MARTINS, P. Empreendedorismo, microcrédito e superação da miséria no Brasil: pontos em debate. Revista Econômica, v. 14, n. 2, 2013.

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2011. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2017.

Portal do Microempreendedor Individual. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2017.

MENEZES, G. R. Ensaios Sobre Economia do Empreendorismo. Tese de Doutorado (Economia)—Porto Alegre: UFRGS, 2015.

NETO, R. P. de C. et al. Condicionantes do Empreendedorismo no Brasil: uma análise regional. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 11, n. 4, p. 447–466, 2017.

SABOIA J. Geração de Emprego para Pessoas com Curso Superior no Mercado Formal de Trabalho no Brasil. Palestra e Apresentação oral realizada na 2ª Conferência do Desenvolvimento – CODE Brasília, 23/ 25 de novembro de 2011.

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. SEBRAE Perfil do microempreendedor individual 2013. Brasília: Sebrae, 2013.

SOUZA, D. L. de; SOUZA, J. B. de; PASIN, L. E. V.; ZAMBALDE, A. L. Empreendedorismo e Desenvolvimento Local. Uma Análise do Programa Microempreendedor Individual em Minas Gerais. Desenvolvimento em Questão, v. 14, n. 37, 2016.

THURIK, A. R. et al. Does self-employment reduce unemployment? Journal of Business Venturing, v. 23, n. 6, p. 673–686, nov. 2008.

KANTIS, Hugo. El Fondo Emprender: Nuevas oportunidades para emprendimientos dinâmicos en Uruguay. Inter-American Development Bank, 2012.

VALE, G. M. V.; CORRÊA, V. S.; REIS, R. F. DOS. Motivações para o empreendedorismo: necessidade versus oportunidade? Revista de Administração Contemporânea, v. 18, n. 3, p. 311–327, jun. 2014.




DOI: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2019v34n72p514

Geosul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. eISSN 2177-5230

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.