A Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande na formação econômica regional em Santa Catarina

Autores

  • Alcides Goularti Filho UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2009v24n48p103

Palavras-chave:

Ferrovias, História, Economia, Santa Catarina

Resumo

 

O objetivo deste artigo é analisar e discutir a construção e a expansão da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande (EFSPRG) no Brasil meridional, com ênfase nos trechos do território catarinense no meio oeste e planalto norte. O texto está dividido em três tópicos. Inicialmente será feita uma breve introdução que apresenta os motivos da expansão ferroviária no Brasil meridional. Em seguida, será analisada a construção do trecho catarinense dentro do complexo ervateiro e madeireiro, destacando o trecho entre Porto União-Rio Uruguai, no meio oeste catarinense. E por último, será discutida a integração do planalto norte por meio do ramal Porto União-São Francisco do Sul. O primeiro trecho, no meio oeste, foi construído entre 1907 e 1910, já o segundo, no planalto norte, foi mais lento, entre 1906 e 1917. Ambos os trechos faziam parte do fragmentado sistema ferroviário catarinense, que estava concentrado nas regiões exportadoras conectadas com os portos, sem uma integração intra-regional.

Biografia do Autor

Alcides Goularti Filho, UFSC

Possui graduação em Economia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (1991), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995) e doutorado em Ciência Econômica pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é professor da Univesidade do Extremo Sul Catarinense. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em História Econômica, História de Empresas e Economia Regional, atuando principalmente nos seguintes temas: Santa Catarina, economia regional, complexo carbonífero catarinense, sul de Santa Catarina, história econômica regional, meios de transporte, vias de comunicação e construção naval. Bolsista Produtividade do CNPq

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Artigos