O papel das cooperativas de crédito na territorialização das políticas de apoio à agricultura familiar – o caso do movimento cooperativo no estado de Santa Catarina-SC

Antonio Cazella Cazella, Marielle Berriet-Solliec, Marielle Berriet-Solliec

Resumo


 

As cooperativas de crédito do Brasil aparecem hoje como vetores potenciais do desenvolvimento da agricultura familiar e como alternativas operacionais ao sistema nacional de crédito rural. Com base nesta constatação, este artigo apresenta uma análise do papel efetivo das cooperativas de crédito a partir de pesquisas efetuadas no estado de Santa Catarina, historicamente reconhecido como uma das zonas geográficas onde os sistemas cooperativos conheceram certo dinamismo e onde o número de agricultores familiares é relativamente importante em relação às outras regiões brasileiras. Esta análise cruza o olhar de dois economistas, um especializado nos mecanismos de financiamento da agricultura familiar e o outro nos processos de territorialização das políticas agrícolas e de desenvolvimento rural. O artigo analisa em que medida as cooperativas de crédito, de acordo com o seu modo de organização, contribuem para a melhoria da eficácia e do acesso ao crédito dos agricultores familiares, graças à adoção de processos de intervenção territorializados.


Palavras-chave


Desenvolvimento territorial; Políticas públicas; Crédito rural

Texto completo:

Sem título () PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2177-5230.2010v26n50p82

Geosul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. eISSN 2177-5230

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.