Entre peixes e humanos: o conflito pesca e conservação ambiental no litoral sul do Brasil

Andreza Martins, Leila Christina Dias, Ademir Antonio Cazella

Resumo


Em um cenário atual de mudanças climáticas, sobrepesca, esgotamento generalizado dos recursos pesqueiros marinhos associados ao aumento exponencial da demanda per capita mundial pelo consumo de peixes e derivados, a delimitação de espaços marinhos protegidos continua a ser adotada, em escala global, como a principal ferramenta política territorial para salvaguarda dos ambientes marinhos. Partindo da análise da rede de atores associados à pesca em uma área marinha protegida no litoral sul do Brasil, demonstramos que embora a criação de espaços protegidos seja fundamental para minimizar impactos humanos sobre ambientes marinhos e oceânicos, a iniciativa isolada não limita a pressão antrópica. Nesse sentido, evidenciamos que são as estratégias dos atores localizados em distintas escalas espaciais de atuação política que sustentam, de fato, a geração de acordos e parcerias passíveis de gerar melhorias para conservação marinha. 


Palavras-chave


redes; pesca; conflito ambiental; unidades de conservação

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2177-5230.2015v30n60p7

Geosul, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. eISSN 2177-5230

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.