O processo de emancipação político-administrativa como propulsor de justiça espacial: o caso de Goioxim e Marquinho no estado do Paraná

Autores

  • Liamar Bonatti Zorzanello Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)
  • Márcia da Silva Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2016v31n61p181

Resumo

 A criação de municípios no Brasil foi fortemente impulsionada a partir da promulgação da Constituição Federal de 1988, provocando significativa compartimentação de seu território, vindo a emancipar aproximadamente 1.431 municípios no período de 1988 a 1996. No Paraná foram criados 81 novos municípios, entre eles Goioxim e Marquinho. O objetivo desta pesquisa foi compreender como a elevação de distritos à posição de municípios, mais especificamente os processos de emancipação de Goioxim e Marquinho, possibilitou transformações socioeconômicas, implicando em maior justiça espacial para estes territórios. Para isso, coletaram-se informações por meio de entrevistas e questionários, visando entender as transformações advindas com a emancipação e elucidando se estas atenderam as necessidades sociais básicas da população, permitindo, principalmente, acesso à saúde e à educação, proporcionando maior justiça social. 

Biografia do Autor

Liamar Bonatti Zorzanello, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

Mestre em Geografia da Universidade Estadual do Centro-Oeste.

Márcia da Silva, Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO)

Profª.Drª junto ao Curso de Geografia pela Universidade Estadual do Centro-Oeste.

Downloads

Publicado

2016-06-22

Edição

Seção

Artigos