O cooperativismo agropecuário do Sul do Brasil a partir da conjuntura econômica dos anos 1980: alteração territorial de seu centro dinâmico

Autores

  • Fernando Rodrigo Farias Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • Carlos José Espíndola Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2016v31n61p227

Resumo

 O cooperativismo agropecuário no Sul do Brasil por apresentar uma forte conexão com a agricultura familiar/mercantil faz parte de uma temática pertinente a ser estudado. Principalmente por fazer parte da temática da geografia econômica e agrária, e por estar inserido na dinâmica socioespacial afinal, se desenvolve através de suas principais combinações geográficas (natural, social e econômica). Esse setor do dinamismo agropecuário sempre fez parte das estratégias do Estado tanto nas fases ascendentes quanto nas descendentes do desenvolvimento capitalista brasileiro. Surgiu no final do século XIX, mas foi no século XX que apresentou o maior dinamismo de seu desenvolvimento. Ao longo das décadas do século XX apresentou diferentes ritmos de crescimento. A partir da década de 1980 o setor passou a enfrentar um novo dinamismo o que acabou gerando significativas transformações em seu centro dinâmico.

Biografia do Autor

Fernando Rodrigo Farias, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul 

Carlos José Espíndola, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (carlos.espindola@ufsc.br).

Downloads

Publicado

2016-06-22

Edição

Seção

Artigos