Análise microscópica eletrônica e petrográfica dos enrocamentos da UHE Machadinho

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2016v31n61p67

Resumo

 Entender o comportamento mecânico de enrocamentos é, antes de tudo, garantir a segurança dos seres que residem à jusante de barragens. A Usina Hidrelétrica Machadinho teve sua construção finalizada no ano de 2002, tendo como principal característica a inserção de basalto vesicular em até 30% da constituição do corpo do aterro principal, cuja litologia predominante é o dacito. Os trabalhos mais recentes, disponíveis na literatura de enrocamento, têm alertado sobre a alterabilidade das propriedades mecânicas das rochas, uma vez que obras de barragens possuem tempo de vida útil muito longo. Este trabalho teve como objetivo avaliar as estruturas e mineralogia dos enrocamentos de Machadinho. Foram realizadas microscopias eletrônicas e análises petrográficas, tendo-se ainda avaliado os componentes químicos em áreas específicas por meio de espectrometria de dispersão. As constituições mineralógicas dos enrocamentos da UHE Machadinho indicaram elevadas porcentagens de vidro vulcânico nas estruturas, sobretudo o basalto vesicular, direcionando-se para a necessidade da avaliação da ação do intemperismo ao longo do tempo no comportamento mecânico deste material, como garantia de segurança da barragem.

Biografia do Autor

Murilo da Silva Espíndola, UFSC

Possui Doutorado e Mestrado em Engenharia Civil com ênfase em Geotécnica pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011), graduação pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2008). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Geotecnia, atuando principalmente nos seguintes temas: Enrocamentos, ensaios de grande escala, mapeamento geotécnico, estabilidade de encostas.

Marciano Maccarini, Universidade Federal de Santa Catarina

Laboratório de Mecânica dos Solos, Departamento de Engenharia Civil – CTC/UFSC

Agostinho João Dal Moro, Tractebel Energia S.A.

Tractebel Energia S.A.

Downloads

Publicado

2016-06-22

Edição

Seção

Artigos