Susceptibilidade a desertificação para o estado de Pernambuco

Autores

  • Michelle Adelino Cerqueira Unidade Acadêmica de Serra Talhada/Universidade Federal Rural de Pernambuco - UAST/UFRPE https://orcid.org/0000-0002-4090-1204
  • Flavia Mazzer Rodrigues Formação em Engenharia Agronômica (2005) na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Câmpus de Jaboticabal/SP. Cursou Mestrado (2008) e Doutorado (2013) em Agronomia, Programa Produção Vegetal na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Câmpus de Jaboticabal/SP. Atualmente é Professora Doutora na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Instituto de Ciências Agrárias (ICA), Montes Claros/MG, atuando com ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências Agrárias, com ênfase em Topografia, Desenho Técnico, Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento, Manejo e Conservação do Solo e Água, Mapeamento de Uso e Ocupação do Solo. https://orcid.org/0000-0001-5520-1844
  • Gleymerson Vieira Lima de Almeida Escola Técnica Estadual de Pernambuco - ETE-PE https://orcid.org/0000-0002-7705-7940

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n76p151

Palavras-chave:

Nordeste, Seca, Geographic Information System

Resumo

A desertificação tem sido considerada um dos mais graves problemas ambientais da atualidade. Os efeitos de tal processo atingem a ordem política, econômica, social, cultural e ambiental. Para tanto, uma das formas mais úteis e aplicadas para estudos de verificação susceptibilidade a desertificação é através do cálculo do Índice de Aridez (IA), visto que é o único que utiliza variáveis quantitativas para esta análise. A aridez é a característica do clima que relaciona a insuficiência de precipitação adequada para manter uma vegetação, onde o grau de aridez de certa região depende da quantidade de água proveniente da precipitação e da perda máxima possível de água através da evaporação e transpiração, ou evapotranspiração. Portanto, este trabalho tem como objetivo obter a distribuição espacial do índice de aridez para o Estado de Pernambuco, com o auxílio de sistema de informação geográfica, visando a identificação de áreas que apresentam uma maior susceptibilidade à ocorrência da desertificação.

Biografia do Autor

Michelle Adelino Cerqueira, Unidade Acadêmica de Serra Talhada/Universidade Federal Rural de Pernambuco - UAST/UFRPE

Possui graduação em Engenharia de Agrimensura pela Universidade Federal de Alagoas (2010) e mestrado em Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação pela Universidade Federal de Pernambuco (2012). Atualmente é docente da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Tem experiência na área de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, com ênfase em dados climatológicos e aspectos ambientais do semiárido Nordestino.

Flavia Mazzer Rodrigues, Formação em Engenharia Agronômica (2005) na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Câmpus de Jaboticabal/SP. Cursou Mestrado (2008) e Doutorado (2013) em Agronomia, Programa Produção Vegetal na Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV), Câmpus de Jaboticabal/SP. Atualmente é Professora Doutora na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Instituto de Ciências Agrárias (ICA), Montes Claros/MG, atuando com ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências Agrárias, com ênfase em Topografia, Desenho Técnico, Sensoriamento Remoto, Geoprocessamento, Manejo e Conservação do Solo e Água, Mapeamento de Uso e Ocupação do Solo.

Instituto de Ciências Agrárias - ICA/UFMG.

Gleymerson Vieira Lima de Almeida, Escola Técnica Estadual de Pernambuco - ETE-PE

Engenheiro Agrônomo - Mestre em Produção Vegetal pela Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE -  Docente da  Escola Técnica Estadual de Pernambuco - ETE-PE

Referências

ALLEN. Ref – ET Software. 2016. Disponível em: https://www.uidaho.edu/cals/kimberly-research-and-extension-center/research/water-resources/ref-et-software.

ALLEN, R. G.; PEREIRA, L.S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop evapotranspiration – guidelines for computing crop water requirements. In: FAO. Irrigation and Drainage. Paper; 56, Rome, 1998.

AMARAL, V. P.; MORAES, J. D. S.; COSTA, J.; SANTIAGO, A. Estimativa de suscetibilidade à desertificação por meio dos índices de aridez aplicados no município de Petrolina-PE. In: Embrapa Amazônia Oriental-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 18.; SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL, 2., 2014, Belém, PA. Anais[...] Belém, PA: Embrapa Amazônia Oriental, 2014.

AN, SOON-IL; KIM, JI-WON. Role of nonlinear ocean dynamic response to wind on the asymmetrical transition of El Niño and La Niña. Geophysical Research Letters, [s.l.], American Geophysical Union (AGU). v. 44, n. 1, p.393-400, 2017.

ANA. Agência Nacional de Águas (Brasil). Orientações para consistência de dados pluviométricos / Agência Nacional de Águas; Superintendência de Gestão da Rede Hidrometeorológica. Brasília: ANA, SGH, 2012. Disponível em: http://arquivos.ana.gov.br/infohidrologicas/cadastro/OrientacoesParaConsistenciaDadosPluviometricos-VersaoJul12.pdf. Acesso em: 02 mar. 2020.

ANDRADE, M. C O. Pernambuco e o trópico. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 45, p. 11-20, 2007.

APAC, Agência Pernambucana de Águas e Clima, Monitoramento Pluviométrico. Disponível em: http://www.apac.pe.gov.br/. Acesso em: 23 nov. 2018.

BANCO DO NORDESTE. Portal do Banco do Nordeste. Perfil dos estados: Pernambuco, fisiografia e recursos naturais. Pernambuco: Banco do Nordeste, 2001.

BARROS, A. H. C.; ARAÚJO FILHO, J. C.; SILVA, A. B.; SANTIAGO. G. A. C. F. Climatologia do Estado de Alagoas. Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. n. 211. Recife: Embrapa Solos, 2012.

BERTONI, J. C.; TUCCI, C. E. M. Precipitação. In. TUCCI, C.E.M. (Org.) Hidrologia: ciência e aplicação. 2.ed. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, p.177-242, 2001.

BRASIL, MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE DOS RECURSOS HÍDRICOS E DA AMAZÔNIA LEGAL. Convenção das Nações Unidas de combate à desertificação nos países afetados por seca grave e/ou desertificação, particularmente na África. Brasília: Plano Nacional de Combate a Desertificação, 2ª edição. 1998.

BRASIL, RESOLUÇÃO CONAMA nº 238, de 22 de dezembro de 1997. Política Nacional de Controle da Desertificação. Publicada no D.O.U. em 23 de dezembro de 1997.

CGEE, CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS - CGEE. Relatório Anual de 2016. https://www.cgee.org.br/documents/10182/1988858/Rel_Anual_2016.pdf. Acesso em: 27 jan. 2017. 2016

COSTA NETO, F. A.; MEDEIROS, R. M.; SOUSA, E. P.; OLIVEIRA, R. C. S. Balanço hídrico como planejamento para a cidade de Olivedos-PB. In: Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia, CONTECC, 71.2014, Anais[...] Teresina-PI, 2014.

DE VARGAS, T., GOMES, M. G., BELLADONA, R., ADAMI, M. V. D. Aplicação do Interpolador IDW para Elaboração de Mapas Hidrogeológicos Paramétricos na Região da Serra Gaúcha. Scientia cum Industria, v. 6, n.3, p.38-43, 2019.

DOMINGUES, E. P.; MAGALHÃES, A. S., RICARDORUIZ, R. M. Cenários de mudanças climáticas e agricultura no Brasil: impactos econômicos na região Nordeste. Revista Econômica do Nordeste, v. 42, n. 2, p. 229-246, 2011.

FREIRE, J. L. M.; LIMA, J. R. A.; CAVALCANTI, E. P. Análise de Aspectos Meteorológicos Sobre o Nordeste do Brasil em Anos de El Niño e La Niña. Revista Brasileira de Geografia FÍsica, Recife,v. 4, n. 3, p.429-444, 2011.

Oceanic Niño Index (ONI). ENSO Years based on Oceanic Niño Index (ONI). Disponível em: http://ggweather.com/enso/oni.htm. Acesso em: 28 fev. 2020.

GURJÃO, C. D. S.; CORREIA, M. F.; CHAVES FILHO, J. B.; ARAGÃO, M. R. S. Influência do Enos (El Niño-Oscilação Sul) no Regime Hidrológico do Rio São Francisco: uma Análise em Regiões com Fortes Pressões Antrópicas. Revista Brasileira de Geografia Física. v. 5, n. 04, p. 774-790, 2012.

IBAÑEZ, J., VALDERRAMA, J. M., PAPANASTASIS, V., EVANGELOU, C., PUIGDEFÁBREGAS, J. A multidisciplinary model for assessing degradation in Mediterranean rangelands. Land Degradation & Development, v. 25, n. 5, p. 468-482, 2014.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/panorama. Acesso em: 08 de mai 2017.

LACERDA, F. F, NOBRE, P.; CARMO SOBRAL, M.; LOPES, G. M. B. Alterações climáticas globais; uma realidade em Pernambuco. Anais da Academia Pernambucana de Ciência Agronômica 11, Anais[...], 121-154, 2016.

LANFREDI, M., COPPOLA, R., SIMONIELLO, T., COLUZZI, R., D'EMILIO, M., IMBRENDA, V., MACCHIATO, M. LANFREDI, MARIA ET AL. Early identification of land degradation hotspots in complex bio-geographic regions. Remote Sensing, v. 7, n. 6, p. 8154-8179, 2015.

LOPES, I; DOS SANTOS, S. M.; LEAL, B. G.; MELO, J. M. M. Variação do índice de aridez e tendência climática à desertificação para a região semiárida do nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 10, n. 4, p. 1014-1026, 2017.

MARENGO, J. A., BERNASCONI, M. Regional differences in aridity/drought conditions over Northeast Brazil: present state and future projections. Climatic Change, v. 129, n. 1-2, p. 103-115, 2015.

MATALLO JUNIOR, H. A desertificação no mundo e no Brasil. Desertificação. Brasília: UNESCO. 2003.

MATALLO JUNIOR, H. Indicadores de Desertificação: histórico e perspectivas. – Brasília: UNESCO, 2001.

MEDEIROS, R. M. Mudanças do ENSO com relação à precipitação e dias com chuva em Recife - PE, Brasil. Revista Mirante, Anápolis (GO), v. 11, n. 8, P. 222-240, 2018.

MINUZZI, R. B.; SEDIYAMA, G. C.; RIBEIRO, A.; COSTA, J. M. N. El Niño: ocorrência e duração dos veranicos do Estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 9, n. 3, p. 364-371 [online]. 2005. Disponível: http://dx.doi.org/10.1590/S141543662005000300011. Acesso: 08 de mai 2017.

MOLION, L. C. B. Seca, o eterno retorno. Ciência Hoje, v. 3, n. 18, p. 26-32, 1985.

NOBRE, P.; SHUKLA, J. Variations of sea surface temperature, wind stress, and rainfall over the tropical Atlantic and South America. Journal of climate, v. 9, n. 10, p. 2464-2479, 1996.

OLIVEIRA, R.C.S.; MEDEIROS, R.M. DE; COSTA NETO, F. A.; GOMES FILHO, M.F. Estudo das oscilações da temperatura máxima do ar e precipitação em Lagoa Seca-PB visando mudanças climáticas. In: VI Workshop de Mudanças Climáticas e Recursos Hídricos do Estado de Pernambuco e III Workshop Internacional sobre Mudanças Climáticas e Biodiversidade, Anais[...], Recife. 2014.

PENMAN, H.L. The physical bases of irrigation control. In: Hort. Congr., 2, London, Royal Horticultural Society, p.913‐924, 1953.

QGIS. Interpolation Surface in QGIS Saptial Analysis. 2014. Disponível em: https://docs.qgis.org/2.2/en/docs/gentle_gis_introduction/spatial_analysis_interpolation.html.

SAMPAIO, E. V. S. B; SAMPAIO, Y. Desertificação: conceitos, causas, consequências e mensuração. Recife, Universidade Federal de Pernambuco, 2002.

SANTOS, N.D.; SILVA, V. P. R.; SOUSA, F. A. S.; SILVA, R. A. Estudo de alguns cenários climáticos para o Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. V.14, n.5, p.492–500, 2010.

SANTOS, T. S.; CASTRO, A. A.; SILVA, A. R.; QUEIROZ, D. E.; DA SILVA, T. G. F. Projeção da suscetibilidade a desertificação em Pernambuco utilizando o modelo HADGEM-ES. Revista Brasileira de Geografia Física, v.10, n.04, p. 1170-1179, 2017.

SCHENKEL, C. S.; MATALLO JÚNIOR, H. Desertificação. 2. ed. Brasília: UNESCO, 2003.

SILVA, V.P.R.; PEREIRA, E.R.R.; AZEVEDO, P.V.; SOUSA, F.A.S.; SOUSA, I.F. Análise da pluviometria e dias chuvosos na região Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 2, p. 131-138, 2011.

SOUZA, I. A. Variabilidade climática e deficiência hídrica na bacia do Una, PE e sua relação com as anomalias de temperaturas dos oceanos Pacífico e Atlântico. Recife, 2013. 102 f. Tese (doutorado) - UFPE, Centro de Tecnologia e Geociências, Programa de Pós-graduação em Tecnologias Energéticas e Nucleares, 2013.

UNESCO. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. Map of the world distribution of arid regions: Map at scale 1:25,000,000 with explanatory note. MAB Technical Notes 7, Paris, 54 p, 1979.

UNITED NATIONS ENVIRONMENT PROGRAMME (UNEP). Status of desertification and implementation of the United Nations plan of action to combat desertification. Nairobi, 1992.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA (UFSC). CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESASTRES (CEPED). Atlas Brasileiro de Desastres Naturais: 1991-2010. Vol. Brasil. Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres. Florianópolis: CAD UFSC, 2012. Disponível: http://www.ceped.ufsc.br/biblioteca. Acesso em: 09 jun. 2018.

ZDRULI, P. Land resources of the Mediterranean: status, pressures, trends and impacts on future regional development. Land Degradation & Development, v. 25, n. 4, p. 373-384, 2014.

Downloads

Publicado

2020-10-27

Edição

Seção

Artigos