Análise multidimensional do desenvolvimento rural nos municípios cearenses e pernambucanos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n76p706

Palavras-chave:

Desenvolvimento rural, Análise fatorial, Correlação de Pearson, Municípios cearenses e pernambucanos

Resumo

Este estudo se propõe mensurar o Índice de Desenvolvimento Rural (IDR) nos municípios cearenses e pernambucanos para o ano de 2010 e relacionar o IDR com o Produto Interno Bruto (PIB) agrícola e a população rural. Para mensurar o IDR, utilizou-se a técnica de análise fatorial e, para relacionar o IDR com o PIB agrícola e a população rural, empregou-se a correlação de Pearson. Os resultados revelaram expressiva heterogeneidade no desenvolvimento rural, em que, dos 330 municípios analisados, 56,36%, obtiveram um IDR baixo ou muito baixo e apenas 4,24% atingiram um IDR classificado como muitíssimo alto. No tocante à correlação, aferiu-se que as variáveis IDR e população rural estão fortemente correlacionadas, enquanto o IDR e PIB agrícola apresentaram moderada relação linear.  

Biografia do Autor

José Ediglê Alcantara Moura, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Mestrando em Economia Rural pela Universidade Federal do Ceará (UFC).

Eliane Pinheiro de Sousa, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Pós-Doutora em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo (ESALQ USP) e Professora associada do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri (URCA).

Referências

ADECE – AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ESTADO DO CEARÁ. Perímetros públicos irrigados do Ceará em 2011. Disponível em: http:// www.adece.gov.br.agronegócios. Acesso em: 10/05/2018.

ARAÚJO, T. B. Nordeste, Nordestes. Que Nordeste? Ensaios sobre o Desenvolvimento Brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Fase, 2000.

BEGNINI, S.; ALMEIDA, L. E. D. F. Desenvolvimento rural no estado de Santa Catarina um estudo multidimensional. Gestão & Regionalidade (Online), v. 32, n. 94, p.20-35, jan./abr. 2016.

BISQUEIRA, R.; SARRIERA, J. C.; MARTÍNEZ, F. Introdução à Estatística: enfoque informático com o pacote estatístico SPSS. Porto Alegre: Atmed, 2004.

CANO, W. Ensaios sobre a crise urbana no Brasil. Campinas: Editora da UNICAMP, 2011.

CARDOSO, C. E. L., SOUZA, J. S. Fruticultura tropical: perspectivas e tendências. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 31 n. 1, p. 84-95, jan./mar. 2000.

COELHO, A. S. N. Trajetórias e direcionamentos da política de irrigação no Brasil: as especificidades da região nordeste e do vale do São Francisco. In: Encontro Nacional de Geografia, 19, 2009. Anais... São Paulo: ENG, 2009.

DALCHIAVON, F. C.; CARVALHO, M.P. Correlação linear e espacial dos componentes de produção e produtividade da soja. Ciências Agrárias (Online), Londrina, v. 33, p. 541-552, abr. 2012.

DATASUS – DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA DO SUS. 2010. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=01. Acesso em 06/09/2017.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Primeira edição. Rio de Janeiro. Elsevier, 2009.

FURTADO, C. Formação econômica do Brasil. 17ª edição. São Paulo: Editora Nacional, 1980.

GRISA, C. SCHNEIDER, S. Três gerações de políticas públicas para agricultura familiar e formas de integração entre sociedade e Estado no Brasil. In: GRISA, C.; SCHNEIDER, S. (Orgs.). Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2015.

HAIR JÚNIOR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. 6.ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HELFAND, S.; PEREIRA, V. Determinantes da pobreza rural e implicações para as políticas públicas no Brasil. In: BUAINAIN, A. M; DEDECCA, C. S. (Org.). A nova cara da pobreza rural: desafios para as políticas públicas. Brasília: IICA, Série Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 16, p. 121-160, 2012.

IBGE – INTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário 2006-2007. 2010a. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 02/06/2017.

IBGE – INTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico de 2010. 2010b. Disponível em: www.ibge.gov.br. Acesso em: 05/06/2017.

IPECE – INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA. 2010. Disponível em: www.ipece.ce.gov.br. Acesso em: 08/03/ 2018.

JESUS, C. M. Desenvolvimento Territorial Rural: análise comparada entre os territórios constituídos autonomamente e os induzidos pelas políticas públicas no Brasil e Espanha. Uberlândia, MG, 215p. Tese (Doutorado em Políticas Públicas e Desenvolvimento) – Universidade Federal de Uberlândia, 2013.

KAGEYAMA, A. Desenvolvimento rural: conceito e medida. Cadernos de Ciência & Tecnologia, v. 21, n. 3, p. 379-408, set./dez. 2004.

KAGEYAMA, A. Desenvolvimento rural: conceitos e aplicações ao caso brasileiro. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

LEMOS, J. J. S. Níveis de degradação no Nordeste Brasileiro. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 32, n. 3, p. 406-429, jul./set. 2001.

LEMOS, M. B. Espaço e capital: um estudo sobre a dinâmica centro x periferia. Campinas, SP, 293 p. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade Estadual de Campinas, 1988.

LIMA JÚNIOR, F. O’. Estrutura produtiva e rede urbana no estado do Ceará durante o período de 1980-2010. Campinas, SP, 264 p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Econômico) – Universidade Estadual de Campinas, 2014.

LIMA, R. J.; SOUSA, E. P. Desenvolvimento rural dos municípios da Região Integrada Petrolina (PE) – Juazeiro (BA). Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas (UESB), Vitória da Conquista, v. 14, p. 1-18, 2017.

MELO, C. O.; PARRÉ, J. L. Índice de desenvolvimento rural dos municípios paranaenses: determinantes e hierarquização. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 45, n. 2, p. 25-53, abr./jun. 2007.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

NAVARRO, Z. Desenvolvimento rural no Brasil: os limites do passado e os caminhos do futuro. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 43, p. 83-100, set./dez. 2001.

PINTO, N. G. M.; CORONEL, D. A. Desenvolvimento rural no Rio Grande do Sul: uma análise das mesorregiões entre o período de 2000 e 2010. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 36, n. 4, p. 893 - 920, mar. 2016.

POLASTRINI, A. C.; MARTINS, C. L.; TREDEZINI, C. A. D. Indicadores de desenvolvimento rural: análise comparativa entre os territórios CONSADS da região Centro-Oeste e Nordeste. Sociedade e Desenvolvimento Rural, v. 9, p.73-99, nov. 2015.

RAIS – RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS. 2010. Disponível em: http//www.mte.gov.br. Acesso em: 28/07/ 2017.

REZENDE, L. P.; PARRÉ, J. L. A regionalização da agricultura paranaense na década de 1990: um estudo utilizando estatística multivariada. In: Congresso Brasileiro de Economia, Administração e Sociologia Rural, 42, 2004. Anais... Cuiabá, MT: SOBER, 2004.

SABINO, M. J. C. A vulnerabilidade da agricultura familiar nos munícipios do Ceará: o caso do Maciço de Baturité. Fortaleza, CE, 95 p. Dissertação (Mestrado em Economia Rural) – Universidade Federal do Ceará, 2013.

SALES, A. P.; RODRIGUES, C. P. G.; BARRETO, A. C.; ALMEIDA, M. R. D. O desenvolvimento rural dos municípios do Ceará. In: Colóquio Sociedade, Políticas Públicas, Cultura e Desenvolvimento, 6, 2017. Anais... Crato, CE: CEURCA 2017.

SANTINI, G. A.; OLIVEIRA, S. C.; PIGATTO, G. Análise da relação das variáveis preço e produção da mandioca tipo indústria no estado de São Paulo, 1996 a 2008. Informações Econômicas, São Paulo: IEA, v. 40, p. 41-52, mar. 2010.

SANTOS, L. F.; FERREIRA, M. A. M.; SALGADO, R. F. S. F. Desenvolvimento rural nos municípios de Minas Gerais: fatores determinantes e hierarquização. Gestão & Regionalidade (Online), v.33, n. 97, p.88-99, jan./abr. 2017.

SILVA, M. M. A. S.; LIMA, P. V. P. S. Indicadores educacionais e de renda e sua relação com pobreza e indigência no Semiárido Brasileiro. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 46, p. 117-132, abr./jun. 2015.

STEGE, A. L. Desenvolvimento rural nas microrregiões do Brasil: um estudo multidimensional. Maringá, PR, 137 p. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Estadual de Maringá, 2011.

TRIOLA, M F. Introdução à Estatística. 11 ed. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

Downloads

Publicado

2020-10-27

Edição

Seção

Artigos