A indissociabilidade espaço-tempo como elemento de compreensão da Ciência Geográfica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n76p17

Palavras-chave:

Espaço geográfico, Tempo, Geografia, Espaço-tempo, Categorias integradas

Resumo

O espaço geográfico é uma categoria e um conceito essencial em Geografia. O tempo, por sua vez, não é um conceito fundamental em suas investigações. Nesse sentido, propõe-se o debate do espaço e do tempo como categorias integradas, a fim de demonstrar a indissociabilidade desses conceitos, formando a categoria espaço-tempo para análises geográficas. Para tal discussão, utilizou-se uma abordagem teórica apontada pelo campo epistemológico do referido debate. Por meio dessa discussão, foram formulados novos conceitos em associação ao espaço – tempo fixo, tempo fluído e tempo flutuante -, a fim de denotar a indissociabilidade referida, que, por sua vez, constitui os resultados dessa discussão.

Biografia do Autor

Ingrid Gomes da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Programa de Pós-Graduação em Geografia - PROPGEO/UECE

Luiz Cruz Lima, Universidade Estadual do Ceará

Programa de Pós-Graduação em Geografia - PROPGEO/UECE

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

AGOSTINHO, S. Confissões. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

ARISTÓTELES. Physique. Paris: Belles Lettres, 1931.

BACHELARD, G. A Intuição do instante. 2. ed. Campinas: Verus, 2010.

BERGSON, H. Duração e simultaneidade: a propósito da teoria de Einstein. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

BRAGUE, R. O tempo em Platão e Aristóteles. São Paulo: Loyola, 2006.

DESCARTES, R. Princípios da Filosofia. 2. ed. São Paulo: Rideel, 2007.

FERREIRA, R. A.; HELAYËL-NETO, J.; SIQUEIRA-BATISTA, R.; DE JESUS, V. B.; SIQUEIRA-BATISTA, R. O espaço e o tempo, entre a Ciência e a Filosofia: notas para o ensino de Física. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7, 2009, Florianópolis, Anais... Florianópolis: UFSC, 2009.

EINSTEIN, A. A teoria da relatividade espacial e geral. Rio de Janeiro: Contraponto, 1999.

ELIAS, N. Sobre o tempo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1984.

HAESBAERT, R. Desterritorialização: entre as redes e os aglomerados de exclusão. In: CASTRO, I. E. de.; GOMES, P. C. da C.; CORRÊA, R. L. (Org.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995, p. 165-205.

HÄGERSTRAND, T. Innovation difusion as a spatial process. Chicago: University of Chicago Press, 1967.

HARVEY, D. Models of the evolution of spatial pattern in human Geography. In: CHORLEY; HAGGET. Integrated models. Methuen, 1967, p. 85 - 123.

HARVEY, D. A justiça social e a cidade. São Paulo: Hucitec, 1980.

HARVEY. D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2006.

HARVEY. D. O espaço como palavra-chave. Revista em pauta, Rio de Janeiro, v. 13, n. 35, p. 126 – 152, jul. 2015.

HARVEY. D. Condição pós-moderna. 13. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2017.

HEGEL, G. W. F. Enciclopédia das Ciências Filosóficas em compêndio. A Ciência da Lógica. Tradução Paulo Meneses e José Machado. São Paulo: Loyola, 1995.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo. 5. ed. (Tradução revisada e apresentação de Márica Sá Cavalcante Schuback; posfácio de Emmanuel Carneiro Leão). Petrópolis: Editora Universitária São Francisco, 2011.

KANT, I. Princípios metafísicos da Ciência da Natureza. (Tradução Artur Mourão). Lisboa: Edições 70, 1990.

KANT, I. Crítica da razão pura. Lisboa: Fundação Calouste Gunbenkian, 2001.

LEIBNIZ, G.W. Novos ensaios sobre o entendimento humano. (Tradução de Carlos Lopes de Mattos). São Paulo: Nova Cultural, 1988.

NEWTON, I. Mathematical principles of natural philosophy. Chicago: Britannica Great Books; 1978.

PIETTRE, B. Filosofia e Ciência do tempo. Tradução: Maria Pires de Carvalho. Bauru: EDUSC, 1997.

REIS, J. C. Tempo, história e evasão. Campinas: Papirus, 1994.

RENN, J. A física clássica de cabeça para baixo: como Einstein descobriu a teoria da relatividade especial. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 27, n. 1, p. 27-36, 2005.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 2002.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova: da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. 3. ed. São Paulo: HUCITEC, 2008.

SARTRE, J.P. Em defesa dos intelectuais. São Paulo: Ática, 1994.

SILVA, N. L. M. O tempo social de Norbert Elias: uma proposta de superação ao conhecimento dicotômico do tempo. Mneme - Revista de Humanidades, Rio Grande do Norte, v. 11, n. 27, p. 162 – 180, dez. 2010.

SOUZA, M. D, de. A Geografia e o estudo do espaço e do tempo: a contribuição de outras ciências (uma nota crítica). Revista Tamoios, São Gonçalo, n. 2, p. 102-112, jul/dez. 2015.

SOUZA, M. L. de. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

SZAMOSI, G. Espaço e tempo: as dimensões gêmeas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

VIEIRA, E. F. O tempo-espaço: ficção, teoria e sociedade. Caderno EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v.1 n.1, p. 1 –7, ago. 2003.

WHITROW, G. J. O que é tempo? uma visão clássica sobre a natureza do tempo. (Tradução Maria Ignez Duque Estrada). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

Downloads

Publicado

2020-10-27

Edição

Seção

Artigos