A demanda de automóveis no Brasil: uma análise a partir de efeitos regionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2021.e69949

Palavras-chave:

Demanda Efetiva de Automóveis, Imposto sobre Produto Industrializado, Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE), Painel Espacial, Convergência

Resumo

O presente trabalho investigou a demanda de automóveis por mil habitantes nas microrregiões brasileiras por meio dos processos de convergência absoluta e condicional além de testar a hipótese da existência de clubes de convergência, no período 2004 a 2015. Investigou também, os efeitos regionais da redução do IPI (Impostos sobre Produto Industrializado) com o objetivo de identificar se o consumo de automóveis por mil habitantes a nível de regional sofreu alteração no período de atuação dessa política (2008 a 2014), em relação ao período anterior (2004 a 2007), os resultados foram obtidos por meio do uso de ferramentas de Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE) e da Econometria Espacial. As estimações indicaram que microrregiões que apresentaram uma menor demanda efetiva por mil habitantes no período inicial (2004-2007) tenderam a ter maiores taxas de crescimento de suas frotas de automóveis no período posterior (2008-2014), evidenciando assim, um processo de homogeneização ao longo do território brasileiro. Ademais, os resultados indicam existência de dois clubes de convergência denominados de norte e sul, os quais apresentaram características distintas. Por fim, as variáveis estruturais mostraram-se satisfatórias tendo seu grau de significância em 1%. Esses resultados corroboram com aqueles encontrados pelos autores Cintra (2014), Haddad (2015), Lucinda (2017), que identificaram externalidades positivas do aumento da frota de automóveis e que têm o potencial de alavancar o dinamismo nas regiões vizinhas.

Biografia do Autor

Adirson Maciel de Freitas Junior, USP ESALQ

Mestre em economia pela UEPG e Doutorando em Economia USP/Esalq

Cleise Maria de Almeida Tupich Hilgember, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Professora Doutora Adjonta - Departamento de Economia UEPG

Referências

ALMEIDA, E. S. Econometria espacial aplicada. Campinas - SP: Editora Alínea, 2012.

ALMEIDA, S. E.; PEROBELLI, S. F.; FERREIRA, C. G. P. Existe convergência espacial da produtividade agrícola no Brasil?. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 46, n. 1, p. 31-52, 2008.

ANSELIN. Local indicators of spatial association – LISA. Geographical Analysis, v. 27, n. 2, p. 93-115, Apr. 1995.

BARAT, J. Logística, transporte e desenvolvimento econômico. Editora CLA, 2007.

BARRO, Robert J.; SALA-I-MARTIN, Xavier. Convergence. Journal of political Economy, v. 100, n. 2, p. 223-251, 1992.

BARROS, H. P.; FREITAS JR, M. A.; CAMPOS, F. L. L.; HILGEMBERG, T. C. Sistema de aluguéis de bicicleta: externalidades positivas econômicas e ambientais. Ecopar, 2017. Disponível em :<http://sites.uem.br/ecopar/artigos-aprovados/ecopar-1/area-4-2013economia-agricola-e-do-meio-ambiente> acessado em 20/01/2018.

BAUMOL, William J. Productivity growth, convergence, and welfare: what the long-run data show. The American Economic Review, p. 1072-1085, 1986.

BATISTELLA, M.; BRONDIZIO, E. S. Uma estratégia integrada de monitoramento e análise do impacto ambiental de assentamentos rurais na Amazônia. Monitoramento e Contabilização de Impactos Ambientais. Campinas, Editora: Unicamp, 2004.

BAUMGARTEN JR, L. A. Demanda de automóveis no Brasil. Revista Brasileira de Economia, v. 26, n. 2, p. 203-297, 1972.

BERRY, S.; LEVINSOHN, J.; PAKES, A. Automobile prices in market equilibrium. Journal of the Econometric Society, p. 841-890, 1995.

BERTUSSI, Geovana Lorena; FIGUEIREDO, L. de. Investigando a hipótese de convergência na América Latina e no Leste Asiático: uma abordagem de regressão quantílica. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2009.

BERTUCCI, O. J. Benefícios do transporte coletivo. 2011.

BRITO, D. G. Aumento na demanda de automóveis: políticas e instrumentos para reduzir os impactos no meio ambiente. 2011.

CAMAGNI, R.; GIBELLI, C. M.; RIGAMONTI, P. Urban mobility and urban form: the social and environmental costs of different patterns of urban expansion. Ecological economics, v. 40, n. 2, p. 199-216, 2002.

CARVALHO, Carlos Henrique R.; PEREIRA, Rafael Henrique M. Gastos das famílias brasileiras com transporte urbano público e privado no Brasil: uma análise da POF 2003 e 2009. 2012.

CAO, X.; MOKHTARIAN P.L. The Future Demand for Alternative Fuel Passenger Vehicles: A Preliminary Literature Review. University of California - Davis, 2003. Disponível em:< http://aqp.engr.ucdavis.edu>, acessado em 21/08/2018.

CASTAÑON, N. U. A bicicleta como veículo de mobilidade urbana sustentável. CEP, v. 36036, p. 390, 2017.

CELBIS, G. M.; CROMBRUGGHE, D. Internet infrastructure and regional convergence: Evidence from Turkey. Papers in Regional Science, v. 97, n. 2, p. 387-409, 2018.

CINTRA, M. Os custos dos congestionamentos na cidade de São Paulo. 2014.

CNT, Confederação Nacional do Transporte. 2018. Disponível em: https://www.cnt.org.br/home, acessado em 05/10/2018.

CORRÊA, L. R. et al. O espaço urbano. Editora: Ática, 1989.

COELHO, Rodrigo Lara Pinto. Dois ensaios sobre a desigualdade de renda dos municípios brasileiros. Two essays in income inequality of Brazilian municipalities]. Master’s thesis, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional, Universidade Federal de Minas Gerais (Cedeplar-UFMG), 2006.

COSTA JR, J. C.; FANTINATTI, M. A.; TELES, K. V. Política fiscal direcionada no Brasil. 2018.

COSTA, S. M.; RAMOS, R; SILVA, R. N. A. Índice de mobilidade urbana sustentável para cidades brasileiras. 2007.

COSTA, S. D. R. Análise econômico-financeira do mercado automotivo brasileiro (2007 a 2011). 2014.

CRAMER, J.; KRUEGER, B. A. Disruptive change in the taxi business: The case of Uber. American Economic Review, v. 106, n. 5, p. 177-82, 2016.

CRISTO, F. O hábito de usar automóvel tem relação com o transporte coletivo ruim?. 2014.

DE ALMEIDA, S. A. M.; GUANZIROL, E. C. Análise exploratória espacial e convergência condicional das taxas de crimes em Minas Gerais nos anos 2000. ANPEC, 2014.

DE AZEVEDO MEINERS, M. E. W. Impactos regionais dos investimentos automobilísticos no Paraná. Revista Paranaense de Desenvolvimento, n. 94, p. 29-48, 2011.

DE FÁTIMA FIGUEIRÊDO, C.; MAIA, A. L. M. O Uso da Motocicleta e a Inclusão Social, 2013.

DE FRANÇA, R. M. T. Indústria Automobilística: Globalização Produtiva e Atividades de P&D. Mercado de Trabalho: Árdua Recuperação, p. 33, 2018.

DE MOURA VOGT, C.; DE LUCINDA, R C. Custos de procura e dispersão de preços de gasolina e etanol no mercado brasileiro de combustíveis: evidências do município de São Paulo. Análise Econômica, v. 35, n. 68, 2017.

DE OLIVEIRA FARIA, E.; ANTIGÜIDADE, N. História dos transportes terrestres no mundo. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004. Disponível em:< http://www. transitocomvida. ufrj. br/download/Hist% F3ria% 20dos% 20transportes% 20terrestres. pdf.>

DE OLIVEIRA, M. P.; GONÇALVES, E.; DE ALMEIDA, S. E. Existe convergência de patenteamento no Brasil?. Revista Brasileira de Inovação, v. 15, n. 2, p. 335-364, 2016.

DE VASCONCELLOS, A. E.; DE CARVALHO, R. H. C.; PEREIRA, M. H. R. Transporte e mobilidade urbana. Texto para Discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2011.

DEMAIO, P. Bike-sharing: History, impacts, models of provision, and future. Journal of Public Transportation, v. 12, n. 4, 2009.

DENATRAN, Departamento Nacional de Trânsito, 2018. Disponível em: <https://www.denatran.gov.br/> acessado em 06/08/2018.

DESOUZA, A. S. et al. A tributação nas vendas de automóveis no Brasil: quem paga a maior parte da conta?. Revista Economia, v. 11, n. 3, p. 559-596, 2010.

DIVALL, C. From rail to road and back again?: A century of transport competition and interdependency. Routledge, 2016.

DUARTE, F.; LIBARDI, R. Introdução à mobilidade urbana. Editora: Jurua, 2012.

ELHORST, J. Paul. Specification and estimation of spatial panel data models. International regional science review, v. 26, n. 3, p. 244-268, 2003.

FERRAZ, C.; FIUZA, E.; MOTTA, S. R. Medindo os efeitos da regulação ambiental em mercados de oligopólio: O caso da poluição automotiva. 2001.

FERREIRA, C. P.; MALLIAGROS, Thomas G. Investimentos, fontes de financiamento e evolução do setor de infra-estrutura no Brasil: 1950-1996. 1999.

FREITAG, D. R. History of wheels for off-road transport. Journal of Terramechanics, v. 16, n. 2, p. 49-68, 1979.

FREITAS JR, A.; BATISTA, P. H. Dinâmica Espaço-Temporal da Produção Bovina no Brasil: o Avanço da Fronteira Agrícola na Amazônia de 1990 a 2015, uma análise espacial com dados em painel 1 . Disponível em: <https://www.brsa.org.br/fotos/artigo1-2018-06-20-13-06-32.pdf>. Acesso em: 5 jan. 2019.

FREITAS JR, A.; et al. Análise de algumas variáveis determinantes para o uso da bicicleta no cotidiano do estudante de economia da UFPR e prefácio ao sistema de aluguéis de bicicletas. 2016.

FREITAS, M. V.; GONÇALVES, E.; MONTENEGRO, R. L. G. Desigualdade tecnológica, convergência espacial e transbordamentos: uma análise por estados brasileiros (1990-2001). Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 4, p. 1-21, 2010.

FREITAS, V. M.; ALMEIDA, E. Existe realmente convergência de renda entre países?. Estudos Econômicos. São Paulo, v. 45, n. 2, p. 287-316, 2015. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-41612015000200287&lng=en&nrm=iso>.

FREITAS, V. M.; GONÇALVES, E.; MONTENEGRO, G. L. R. Desigualdade tecnológica, convergência espacial e transbordamentos: uma análise por estados brasileiros (1990-2001). Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 4, n. 2, p. 1-18, 2010.

FRIEDMANN, John et al. Empowerment: the politics of alternative development. Blackwell, 1992.

GALOR, Oded; TSIDDON, Daniel. Technological progress, mobility and economic growth. 1996.

GIVONI, M.; RIETVELD, P. The access journey to the railway station and its role in passengers’ satisfaction with rail travel. Transport Policy, v. 14, n. 5, p. 357-365, 2007.

GLAESER, L. E. et al. Growth in cities. Journal of political economy, v. 100, n. 6, p. 1126-1152, 1992.

GRILICHES, Zvi. The search for R&D spillovers. National Bureau of Economic Research, 1991.

GOLDBERG, K. P.; VERBOVEN, F. Market integration and convergence to the Law of One Price: evidence from the European car market. Journal of international Economics, v. 65, n. 1, p. 49-73, 2005.

GONÇALVES, E. A distribuição espacial da atividade inovadora brasileira: uma análise exploratória. Estudos Econômicos, v. 37, n. 2, p. 405-433, 2007.

GONDIM, F. M. A travessia no tempo: homens e veículos, da mitologia aos tempos modernos. Universidade de Brasília, 2014.

GÔMARA, Antônio Rúbio de Barros. O transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros: Um acrescentamento histórico. Brasília: ABRATI, 1999.

HADDAD, A. E.; VIEIRA, S. R. Mobilidade, acessibilidade e produtividade: nota sobre a valoração econômica do tempo de viagem na região metropolitana de São Paulo. Núcleo de Economia Regional e Urbana, Universidade de São Paulo, 2015.

ISLAM, Nazrul. What have we learnt from the convergence debate?. Journal of economic surveys, v. 17, n. 3, p. 309-362, 2003.

JACOBS, J. The Life of Cities. Random House, 1969.

JOHNSON, Paul A.; TAKEYAMA, Lisa N. Convergence among the US states: Absolute, conditional, or club?. 2003.

JOHNSON, Richard A. Wichern. DW Applied Multivariate Statistical Analysis. New Jersey: Prentice-Hall, lnc, v. 1, p. 998, 2007.

KEMP, L. E. Uma História do Weston & Gauley Bridge Turnpike. West Virginia Univ Morgantown, 1979.

KRUGMAN, Paul. Increasing returns and economic geography. Journal of political economy, v. 99, n. 3, p. 483-499, 1991.

LAURINI, Márcio et al. Clubes de convergência de renda para os municípios brasileiros: uma análise não-paramétrica. documento presentado en el XXV Encuentro brasileño de econometría, Porto Seguro, 2003.

LIMA, O. M. L. Retrospectiva do transporte brasileiro: As conquistas e os entraves na transicão dos séculos XX e XXI. Inter-American Development Bank, 2005.

LOPES. F. A. M. O fracasso da Comissão Mista Brasil – Estados Unidos (CMBEU) e os rumos da política econômica no segundo Governo Vargas (1951 – 1954). Dissertação (Mestrado em Economia Política), Pontifícia Universidade Católica –PUC, São Paulo, 2009

LOTUFO, O. J. Oikos: Reintegrando natureza e civilização. Revista Labverde, n. 2, p. 108-127, 2011.

LÜBECK, M. R. et al. Diga-Me no que andas e te Direi quem és: Aspectos de Influência nos Jovens da Classe C Brasileira para Adquirir Automóveis. Revista Brasileira de Marketing, v. 13, n. 3, p. 17-35, 2014.

LUCINDA, R. C. et al. The economics of sub-optimal policies for traffic congestion. Journal of Transport Economics and Public, v. 51, n. 4, p. 225-248, 2017.

MACHADO, C. D; VIANNA, B. S. G. UMA ANÁLISE DOS CUSTOS DA MOBILIDADE URBANA NO BRASIL: PERDAS DO PIB COM DESLOCAMENTOS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 11, n. 2, p. 152-172, 2017.

MAKSIMKIN, I. et al. Development of Road Transportation. 2018.

MANKIW, G. N.; ROMER, D.; WEIL, N. D. A contribution to the empirics of economic growth. The quarterly journal of economics, v. 107, n. 2, p. 407-437, 1992.

MARICATO, E. O impasse da política urbana no Brasil. Editora Vozes Limitada, 2017.

MASCARENHAS, R. R.; RIBEIRO FILHO, V. Mobilidade urbana nos países em desenvolvimento: Uma analogia do transporte público urbano a partir da opção rodoviária e do automóvel no Brasil. CaderNAU, v. 9, n. 1, p. 155-171, 2016.

MENEZES, S. M. Mobilidade urbana e a contribuição das estratégias de gestão de demanda na cidade de Salvador. 2014.

MIAN, Atif; SUFI, Amir. The effects of fiscal stimulus: Evidence from the 2009 cash for clunkers program. The Quarterly journal of economics, v. 127, n. 3, p. 1107-1142, 2012.

MISHRA, B. et al. A Spatial Analysis Of Creative Class Worker Growth Convergence In Us Counties. Romanian Journal of Regional Science, v. 10, n. 1, p. 43-66, 2016.

MONTENEGRO, L. R.; GONÇALVES, E.; ALMEIDA, E. Dinâmica espacial e temporal da inovação no estado de São Paulo: uma análise das externalidades de diversificação e especialização. Estudos Econômicos, v. 41, n. 4, p. 743-776, 2011.

MOSQUEIRA, M. T. Reabilitação da Região da Luz-Centro Histórico de São Paulo: projetos urbanos e estratégias de intervenção. Tese de Doutorado. 2007.

MURPHY, E.; USHER, J. Uma análise do papel da partilha de bicicletas numa cidade europeia: o caso de Dublin. In: Paper apresentado na Rede Irlandesa de Pesquisa de Transportes, University College Cork - Irlanda. IRTN, 2011.

NASCIMENTO, H. B. Formação da indústria automobilística brasileira: política de desenvolvimento industrial em uma economia dependente. Universidade de São Paulo, Instituto de Geografia, 1976.

NASCIMENTO, T. B.; DE ÁVILA MONTINI, A. MODELOS PARA PROJEÇÃO DE DEMANDA NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA BRASILEIRA. Pesquisa-Desenvolvimento e Gestão, v. 17, n. 1, 2014.

NORTH, Douglass. Instituciones, câmbio institucional y desempeño económico. Mexico. Fondo de Cultura Económica. 1995.

OJIMA, R. et al. O estigma de morar longe da cidade: repensando o consenso sobre as" cidades-dormitório. Cadernos Metrópole, v. 12, n. 24, 2010.

OLIVEIRA, P. M; GONÇALVES, E.; ALMEIDA, E.; Existe convergência de patenteamento no Brasil?. Revista Brasileira de Inovação, Campinas -SP, 15 (2), p. 335-364, julho/dezembro 2016.

PEREIRA, T.; CARVALHO, A. Abertura comercial, mark ups setoriais domésticos e rentabilidade relativa das exportações. 1998.

PEROBELLI, F. S.; FARIA, W. R.; FERREIRA, P. G. C. Análise da convergência espacial do PIB por mil habitantes no estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 1, n. 1, p. 85-113, 2009.

PIRES, M. C. C. Multiplicadores fiscais no Brasil: uma contribuição ao debate sobre políticas fiscais anticíclicas. In: XXXVII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, ANPEC. 2009.

QUAH, T. D. Empirics for economic growth and convergence. European economic review, v. 40, n. 6, p. 1353-1375, 1996.

REIS, S. V. C. et al. O efeito da mobilidade urbana na renda do trabalhador no Distrito Federal. Revista Eletronica Gestão & Saúde, v. 4, n. 3, p. 3239-3262, 2014.

RESENDE, V. T. P; SOUSA, R. P. Mobilidade urbana nas grandes cidades brasileiras: um estudo sobre os impactos do congestionamento. Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, FGV, 2009.

REY, J. S.; MONTOURY, B. D. US Regional income convergence: a spatial econometric perspective. Regional Studies, v. 33, n. 2, p. 143-156, 1999.

Richardsson, B. C. Sustainable transport:analysis frameworks. Journal of Transport Geograph. v. 13, p. 29–39. 2005.

RODRIGUES, A. R. P. Introdução aos sistemas de transporte no Brasil e à logística internacional. Edições Aduaneiras, 2008.

RUBIM, B.; LEITÃO, S. O plano de mobilidade urbana e o futuro das cidades. Estudos Avançados, v. 27, n. 79, p. 55-66, 2013.

SALA-I-MARTIN, X. X. The classical approach to convergence analysis. The economic journal, p. 1019-1036, 1996.

SANTOS, M. M. M. A. Reestruturação da indústria automobilística na América do Sul. 2001.

SANTOS, G. et al. Part I: Externalities and economic policies in road transport. Research in transportation economics, v. 28, n. 1, p. 2-45, 2010.

SANTOS, D. J. et al. Série temporal de índices de Redes Complexas em mobilidade urbana. Proceeding series of the Brazilian Society of Computational and Applied Mathematics, v. 6, n. 1, 2018.

SCARINGELLA, S. R. A crise da mobilidade urbana em São Paulo. São Paulo em perspectiva, v. 15, n. 1, p. 55-59, 2001.

SCHUMPETER, J. A. Business Cycles: A Theoretical, Historical, and Statistical Analysis of the Capitalist Process, McGraw-Hill Book Company Inc., New York, 1939.

SOUZA, U. E. O transporte público urbano como suporte para o desenvolvimento do turismo em Natal-RN. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 2013.

TEIXEIRA E HESPANHOL. A Região Centro-Oeste no contexto das mudanças agrícolas ocorridas no período após 1960. Revista da associação de geógrafos brasileiros. p. 52, 1996.

TEIXEIRA, P. A. F. R.; BERTELLA, A. M. Distribuição Espaço-Temporal da Produtividade Média do Café em Minas Gerais: 1997-2006. Análise Econômica, v. 33, n. 63, 2015.

TOOLKIT, BEHAVIOURAL INSIGHTS. Social Research and Evaluation Division, Department for Transport, November at al 2011.

URRY, J. Mobilities: new perspectives on transport and society. Routledge, 2016.

VASCONCELLOS, A. E. O custo social da motocicleta no Brasil. Revista dos Transportes Públicos, v. 30, p. 31, 2008.

VASCONCELOS, A. E. O que é trânsito. Brasiliense, 2017.

VERBOVEN, F. International price discrimination in the European car market. Rand Journal of Economics, v. 27, n. 2, p. 240-268, 1996.

WILKS, S. D. Cluster analysis. In: International geophysics. Academic press, 2011. p. 603-616.

Downloads

Publicado

2021-04-08

Edição

Seção

Artigos