Em busca da cidade moderna: a remodelação urbana de São Luís durante a Era Vargas (1936-1945)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-5230.2020v35n76p637

Palavras-chave:

Remodelação urbana, Era Vargas, São Luís

Resumo

O presente artigo versa sobre o processo contraditório de legitimação por um lado de um urbanismo moderno, mas de natureza estatal e autoritária, no contexto de fortalecimento dos municípios brasileiros frente à uma nova realidade urbano-industrial no Brasil dos anos 1930 e 1940. Mais especificamente se detém nas repercussões para o espaço urbano de São Luís, capital do estado do Maranhão, durante a interventoria de Paulo Ramos e da gestão modernizante dos prefeitos Saboya Ribeiro e Pedro Neiva no período varguista. Para tanto, realizou-se uma pesquisa histórica a partir de fontes primárias, como jornais e documentos oficiais da época, com o objetivo de compreender como se deu a remodelação urbana em São Luís.

Biografia do Autor

Luiz Eduardo Neves dos Santos, Prof. Adjunto I da Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Campus Pinheiro.

Licenciado em Geografia pela Universidade Federal do Maranhão, Especialista em Geoprocessamento Aplicado ao Cadastro Multifinalitário pelo Centro de Desenvolvimento de Conhecimentos e Habilidades (CEDECON), Mestre em Desenvolvimento Socioeconômico pela Universidade Federal do Maranhão e doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará. Ocupa o cargo de Professor Adjunto I do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas - Habilitação História/Filosofia da Universidade Federal do Maranhão, Campus Pinheiro sob o Regime de Dedicação Exclusiva. É integrante do Núcleo de Estudos Geográficos (NEGO) da UFMA. Possui experiência na área de Geografia Urbana, Econômica e Cultural, Planejamento Urbano, atuando principalmente nos seguintes eixos temáticos: Produção do Espaço, Direito à Cidade, Paisagem Urbana, Verticalização, Urbanização, Segregação Sócio-espacial, Toponímia Urbana, Cotidiano Urbano e Problemas Ambientais nas Cidades.

Maria Clélia Lustosa Costa, Professora da Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará - UFC

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Ceará, mestrado em Geografia (Geografia Humana) pela Universidade de São Paulo e doutorado pela Université Sorbonne Nouvelle - Paris III. Professora Associada do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará. Vice-Coordenadora do Laboratório de Planejamento Urbano e Regional ? (LAPUR) da UFC. Sócia efetiva do Instituto Histórico, Geográfico e Antropológico do Ceará e sua representante no Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio histórico e cultural (COMPHIC). Coordenadora do núcleo Fortaleza da Rede Observatório das Metrópoles: território, coesão social e governança democrática (INCT). Foi representante da UFC no Conselho Estadual do Meio Ambiente (COEMA) e da Associação de Geógrafos Brasileiro na Comissão do Plano diretor de Fortaleza (CPPD). Tem publicações sobre urbanização, segregação socioespacial, problemática ambiental e vulnerabilidade socioambiental. Faz pesquisa também na área de Geografia Regional, Urbana, Geografia Histórica e Geografia da Saúde.

Referências

A CIDADE de São Luiz. O imparcial. São Luís, n. 5.498, 26 fev. 1937, p. 1. Disponívelem: memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=107646&pasta=ano%20193&pesq=%22A%20Cidade%20de%20São%20Luiz%22. Acesso em 22 mar. 2019.

AS OBRAS de demolição dos pardieiros de S. Luiz. O Imparcial. São Luís, n. 5.591, 1 jun, 1937, p. 2. Disponível em: http://memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib=107646&pasta=ano%20193&peq=%22A%20Cidade%20de% 20 São%20Luiz%2. Acesso em 22 mar. 2019.

BURNETT, F. L. São Luís por um Triz: Escritos urbanos e regionais. São Luís: EDUEMA, 2012. 171p.

BUZAR, B. Prefeitos de São Luís no Século XX. O Estado do Maranhão. São Luís, 1 out. 2000, Caderno Especial.

COMMISSÃO DO PLANO DE CIDADE. O Imparcial. São Luís, n. 5.539, 7 abr. 1937, p. 3. Disponível em: memoria.bn.br/DocReader/docreader.aspx?bib =107646&pasta=ano%20193&peq%20=%22A%20Cidade%20de%20São%20Luiz%2. Acesso em 22 mar. 2019.

COSTA, M. L. O projeto de modernização de São Luís nos anos Paulo Ramos (1936-1945). 2016. 161f. Dissertação (Mestrado em História). Centro de Ciências Humanas, Universidade Federal do Maranhão – UFMA, São Luís, 2016.

FERREIRA, E. P. A Mística do Parentesco – uma genealogia inacabada. Piauí/Maranhão/Rio de Janeiro e São Paulo. Vol. 4. São Paulo: Corrêa Lago, 1987. 240p. Disponível em: https://www.parentesco.com.br/. Acesso em 20 fev. 2020.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: a vontade de saber. 7ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018. 176p. (Coleção Biblioteca de Filosofia).

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS – FGV. (Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC). Pedro Neiva de Santana: perfil biográfico. Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: http://www.fgv.br/CPDOC/BUSCA/dicionarios/verbete-biografico/pedro neivadesantana. Acesso em: 30 jan. 2020.

GOMES, J. T. P. Síntese Histórica da Formação Urbana de São Luís. Revista FIPES. São Luís, v. 3, n. 2, p. 17 – 25, Jul / Dez, 1988.

IANNI, O. Estado e planejamento econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2010. 332p.

JORGE, M. Álbum do Maranhão 1950. São Luís, s. ed, 1950.

LEME, M. C. S. Urbanismo no Brasil (1895-1965). 2. ed. Salvador: EDUFBA, 2005. 599p.

LOPES, J. A. V. São Luís, Capital Moderna e Cidade Colonial. Antônio Lopes da Cunha e a Preservação do Patrimônio Cultural Ludovicense. São Luís: Fundação Municipal de Cultura/Editora Aquarela, 2013. 328p.

MANZO, R. A Arquitetura na construção da imagem do Estado getulista: Rio de Janeiro (1930-1945). 2011. 309f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Universidade Presbiteriana Makenzie, 2011.

MEIRELES, M. M. História do Maranhão. São Paulo: Siciliano, 2002. 392p.

MONTELLO, J. A cidade que não quer ser nova. Revista Careta, Rio de Janeiro n. 1.535, Ano XXX, p. 24-25, 20 nov. 1937. Disponível em: objdigital.bn.br/acervo_digital/div_periodicos/careta/careta_1937/careta_1937_1535.pdf. Acesso em 30 mar. 2019.

OLIVEIRA, F. “Dêem-me Ademir e eu darei o campeonato”. In: CASTRO, A. C. et. al. Brasil em desenvolvimento 2: instituições, políticas e sociedade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005. p. 379–391.

PFLUEGER, G.; FURTADO, L. As imagens do moderno em São Luís pelo álbum de Miécio Jorge, de 1950. Revista Amazônia Moderna, Palmas, v.1, n.1, p.68 – 83, abr/set. 2017. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php. Acesso em 10 jan. 2020.

QUINTO JUNIOR, L. P. Nova legislação urbana e velhos fantasmas. Estudos Avançados, São Paulo, v. 17, n. 47, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v17n47/a11v1747.pdf. Acesso em 19. abr. 2020.

RUBIN, G. R.; BOLFE, S. A. O desenvolvimento da habitação social no Brasil. Ciência e Natura, Santa Maria v. 36, n. 2 mai – ago. 2014, p. 201-213. Disponível em: oaji.net/articles/2017/1602-1487076445.pdf. Acesso em 29 jan. 2020.

SCHWARCZ, L. M.; STARLING, H. M. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. 694p.

SELBACH, J. F. (Org.). Códigos de Posturas de São Luís/MA. São Luís: EDUFMA, 2010. 304p.

VASCONCELOS, P. E. S. Política habitacional do Estado autoritário em São Luis (1964-1985). 2014. 145f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Socioespacial e Regional. Universidade Estadual do Maranhão, UEMA, 2014.

VILLAÇA, F. Uma contribuição para a história do planejamento urbano no Brasil. In: DEÁK, Csaba; SCHIFFER, Sueli Ramos (Orgs.). O processo de urbanização no Brasil. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2010. p. 169-243.

Downloads

Publicado

2020-10-27

Edição

Seção

Artigos